PIB do Piauí apresenta queda de 3,5% em 2020, aponta levantamento do IBGE

Apesar da queda, o setor agropecuário cresceu em volume na ordem de 10,8% entre 2019 e 2020.

16/11/2022 11:39h - Atualizado em 16/11/2022 11:57h

Compartilhar no

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quarta-feira (16) os resultados das Contas Regionais do país referente ao ano de 2020, que apontaram que 24 unidades da federação tiveram queda no Produto Interno Bruto (PIB), duas delas apresentaram pequeno crescimento no PIB e uma ficou estável. Dentre as unidades da federação que tiveram queda no PIB está o Piauí, com queda de 3,5%.

Os resultados do levantamento das Contas Regionais para o Piauí, apurados em parceria do IBGE com a Secretaria de Planejamento do Estado do Piauí, através da Superintendência de Pesquisas Econômicas e Sociais do Piauí (Cepro), apontaram um PIB para o Estado da ordem de R$ 56,4 bilhões em 2020, redução de 3,5% em volume em relação a 2019, o que deixou o Piauí ocupando a 17ª posição dentre os resultados obtidos no PIB pelas unidades da federação.

De acordo com Rebeca Nepomuceno, diretora de Estudos Econômicos e Sociais da Cepro/Seplan, de certo modo, isso reflete o comportamento do Estado em termos produtivos se comparado a outros estados do Nordeste, que teve queda de 4,1%.

Rebeca Nepomuceno, diretora de Estudos Econômicos e Sociais da Cepro/Seplan (Foto: Nathália Amaral/ODAIA)

“Entre 2002 a 2020, o resultado do PIB, mesmo apresentando essa queda, o Piauí foi o quarto maior estado em termos de crescimento. A importância dessa análise é justamente o alinhamento das expectativas dos agentes econômicos, tanto do setor público como privado. Assim, é possível observar quais setores precisam de maior atenção, quais tiveram resultados positivos”, disse.

Apesar da queda do PIB do Piauí em 2020, a participação do estado em relação ao total do PIB do Brasil não apresentou alteração em relação ao ano de 2019, continuando a representar cerca de 0,7% do PIB do país, mantendo a 21ª. posição no ranking. O estado de São Paulo é o que tem a maior participação no PIB do país, com 31,2%. Em relação ao Nordeste, o Piauí representava 5,2% do PIB regional, ocupando a 8ª posição, ficando à frente apenas do estado de Sergipe.

Apesar da queda no PIB estadual em 2020, o setor agropecuário cresceu 10,9%

Em 2020, primeiro ano da pandemia da Covid-19, a economia do Piauí apresentou retração de 3,5%, decorrente das variações negativas em volume nos grupos de atividades da Indústria e Serviços. Por sua vez, o setor da Agropecuária no Estado apresentou um crescimento em volume da ordem de 10,8%, entre 2019 e 2020, que decorreu, sobretudo, do crescimento verificado na atividade Agricultura, inclusive apoio à agricultura e à pós-colheita, cuja variação foi de 12,1%.

O aumento no volume verificado nesta atividade justificou-se pelo cultivo de cereais e de soja, segmentos de destaques na economia piauiense, que tiveram aumentos das quantidades produzidas em 2020. Entre as demais atividades agropecuárias, Pecuária, inclusive apoio à pecuária apresentou crescimento em volume de 4,2%, e Produção florestal, pesca e aquicultura, registrou aumento de 10,9%. Em razão disso, a Agropecuária representou 11,3% do total da economia piauiense em 2020, o que significou um aumento de 3,3 pontos percentuais em relação ao ano anterior.

Liege Moura, superintendente da Cepro, enfatiza que o estudo do PIB destaca os números do que está sendo produzido e o que isso representa para a economia do Estado. “Esse estudo vai revelar o comportamento da nossa economia e do que se produz de riquezas, e também para a tomada de decisões de investimentos que podem ser feitos. 

As informações do Sistema de Contas Regionais: Brasil 2020 foram levantadas pelo IBGE em parceria com os órgãos estaduais de estatística, as Secretarias Estaduais de Governo e a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa). O PIB do Brasil atingiu em 2020 cerca de R$ 7,6 trilhões, evidenciando uma redução em volume de 3,3 % em comparação com 2019.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: Com informações do IBGE