Poliomielite: Apesar de não atingir meta, vacinação no Piauí supera média nacional

O Estado alcançou a média de 75,83% de crianças até cinco anos imunizadas contra a Poliomielite; média nacional é de 72,57%

07/11/2022 12:11h

Compartilhar no

O Piauí está entre os estados da Federação que ultrapassaram a média nacional de imunização contra a Poliomielite. Porém a Secretaria de Estado da Saúde alerta pais e responsáveis sobre a necessidade de vacinarem as crianças para que se atinja a meta esperada de 95% desse público vacinado. A campanha nacional de vacinação contra a Poliomielite já foi encerrada, mas as doses do imunizante continuam disponíveis em todos os postos de saúde. Crianças de até cinco anos devem manter atualizado o cartão de vacina.

De acordo com o levantamento do Sistema Nacional de Imunização, o Piauí alcançou a média de 75,83% de crianças até cinco anos imunizadas contra a Poliomielite. A média nacional é de 72,57%, mas o objetivo é que 95% desse público estejam vacinados. “A poliomielite pode se espalhar rapidamente entre comunidades com cobertura vacinal inadequada, não é tratável, mas é totalmente evitável por vacinação. Por isso fazemos um alerta aos pais e responsáveis, que procurem os postos de saúde e imunizem seus filhos até cinco anos”, destaca o superintendente de Atenção à Saúde e Municípios da Sesapi, Herlon Guimarães.

(Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)

Mesmo com o fim da campanha, os postos de saúde continuam imunizando contra a poliomielite. Podem se vacinar as crianças de 01 a 04 anos, 11 meses e 29 dias de maneira indiscriminada, buscando aumentar a cobertura vacinal contra a doença. “Pedimos a colaboração de todos os gestores municipais e também o engajamento de pais e responsáveis, para que nossas crianças sejam vacinadas e afaste de vez o risco do retorno dessa doença, que está há mais de 30 anos erradicada no país”, lembra o superintendente.

Paralisia infantil

A poliomielite, também chamada de "paralisia infantil", é uma doença infectocontagiosa transmitida por um vírus. Ela é caracterizada por um quadro de paralisia flácida. O início é repentino e a evolução do déficit motor ocorre, em média, em até três dias. A doença acomete, em geral, os membros inferiores, de forma assimétrica, e tem como principal característica a flacidez muscular.

A doença é causada pelo poliovírus, que pode infectar crianças e adultos por meio do contato direto com fezes ou com secreções eliminadas pela boca das pessoas doentes e provocar ou não paralisia.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: Com informações da Sesapi