Produção de grãos no Piauí cresce 6,8%, mesmo com falta de chuva

Conab mostra que área plantada de soja se manteve estável em 758,9 mil/ha, mas estimativa da Aprosoja era de 780 mil/ha.

10/07/2020 12:31h - Atualizado em 10/07/2020 12:56h

Compartilhar no

Mesmo com a pandemia e todos os efeitos que o coronavírus causou a nível mundial, o Piauí mais uma vez se destaca na produção de grãos. De acordo, com o 10º Levantamento de Grãos, pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), há expectativa de que sejam produzidos 4,7 milhões de toneladas de grãos no Estado, um aumento de 6,8% em relação à safra anterior. Os técnicos da Superintendência Regional da Conab no Piauí realizaram a coleta de dados no período de 22 a 27 de junho.


Leia também:

Falta de investimento atrapalha escoamento de soja no Sul do PI

 Covid-19 não afeta agronegócios no PI e se fala em ‘safra recorde’ em 2020 

Sul do Piauí: Produtores querem construir estrada privada para escoar grãos 


Na pesquisa mostra que área plantada de soja se manteve estável em 758,9 mil hectares. Assim, com a colheita já concluída, a produtividade é superior à da safra anterior em 2,2%, atingindo os 3.129 kg/ha, o que significa uma produção de 2,4 milhões de toneladas.

 Conab mostra que há expectativa de que sejam produzidos 4,7 milhões de toneladas de grãos no Piauí. Foto: Ascom Aprosoja

Em relação área do milho, a primeira safra atingiu 429,1 mil hectares, um aumento de 14,8% com relação à safra passada. Atualmente a produção para a cultura no estado gira em torno dos 4.505 kg/ha, correspondendo a um aumento de 13,6%.

Presidente do Aprosoja afirma que safra foi positiva, mas que sofreu com a falta de chuvas 

De acordo com Alzir Neto, presidente do Aprosoja (Associação de Produtores de Soja do Piauí) a análise da Conab reafirma as informações que associação vem divulgando. Porém havia uma projeção maior do que essa, a estimativa era que fossem plantados em torno de 785 mil hectares soja, ao invés de 758,9 mil hectares. 

Presidente da Aprosoja, Alzir Neto, estima que a safra de 2020/21 seja 800 mil/ ha. Foto: Arquivo O Dia

“Foi um ano atípico, normalmente as primeiras chuvas começam a se dar de outubro a novembro, mas só veio a ocorrer em janeiro. Com este atraso e em razão do ciclo das culturas, principalmente da soja, que tem sua janela ideal para plantio entre novembro e dezembro, alguns produtores migraram do plantio de soja para o de milho”, afirma Alzir Neto.

Mesmo com a falta de chuva, alguns produtores plantaram fora da janela, em janeiro, o que fez com que a estimativa que era em torno de 55 sacas por hectares, o que representa 3.300 kg/ha, reduzisse para algo em torno de 52 sacas. 

“Estes dados mostram a realidade e capacidade que o produtor piauiense tem. Que em meio a todas as dificuldades e falta de logística que temos, nós tivemos um crescimento significativo. Estes anos teremos bom preço, apesar de que o custo também atingiu o patamar mais alto. Estamos em um ano de câmbio favorável para as vendas de exportações e buscamos novos horizontes. Acredito que a próxima safra deva se desenhar uma projeção mais representativa, podemos falar de 800 mil/ ha para safra 2020/2021”, conclui.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Sandy Swamy

Deixe seu comentário