Produtores cobram agilidade no andamento de obras no cerrado piauiense

A Aprosoja alega ainda a falta de manutenção num total de 500 km de estradas que interligam as fazendas às estradas principais.

08/04/2021 17:46h - Atualizado em 08/04/2021 17:52h

Compartilhar no

Os produtores de grãos do cerrado piauiense temem que os problemas enfrentados no escoamento da produção de milho e soja sejam prolongados por mais tempo devido à falta de conclusão das obras da conhecida Rodovia da Soja. Há anos, a região tem ganhado destaque pela produtividade, mas também pelas imagens de carretas atoladas em meio à lama. 


Leia tambémRodovia da Soja deve ter trechos asfaltados até o final do ano, diz Rafael Fonteles  

Sul do Piauí: Produtores querem construir estrada privada para escoar grão 


A Associação dos Produtores de Soja do Piauí (Aprosoja) até se empolgou com o início do asfaltamento do trecho de 26 km da PI 392. Agora, com a obra próxima da finalização, a Aprosoja segue na incerteza de que outros dois trechos de responsabilidade do DER serão concluídos como previsto pelo Governo do Estado. 

“Será um trecho de estrada que vai ficar no meio da Serra sem ligação nenhuma com a rodovia que é a chamada Rodovia da soja. O secretário de fazenda, que também é coordenador do Pró Piauí, esteve no cerrado há um mês e apresentou um projeto aí muito ambicioso.  Ele prometeu um conjunto de recuperações e de obras muito significativo e mostrou disposição financeira para isso”, disse Alzir Neto, presidente da Aprosoja Piauí.

Alzir Neto, presidente da Aprosoja (Foto: O Dia)

O trecho mais importante para os produtores tem um total de 16 km. A obra orçada em de R$ 4,5 milhões foi retomada em setembro do ano passado, mas está longe de chegar ao fim. Alzir Neto lembra que a obra, assim como o trecho que está sendo concluído, possui recurso garantido, projeto e licitação realizada. A Aprosoja alega ainda a falta de manutenção num total de 500 km de estradas que interligam as fazendas às estradas principais. 

Alzir Neto explica que o Piauí segue para se tornar o maior destaque na produção nacional de soja, com 3 milhões de toneladas, mesmo diante das dificuldades estruturais. Ele lembrou que o prazo para a conclusão das obras de asfaltamento que ligam os municípios de Currrais, Bom Jesus e Baixa Grande do Ribeiro é até o início do próximo ano.

Desde 2013, os produtores Uruçuí, Baixa Grande do Ribeiro, Santa Filomena, Bom Jesus, Currais e Palmeiras aguardam as obras que eles consideram um grande cinturão que ligará à Transcerrados, outra rodovia fundamental para o escoamento dos grãos. 

A reportagem procurou o Departamento de Estradas e Rodagens do Piauí (DER), mas não obteve retorno até o fechamento dessa matéria. O espaço segue aberto para posteriores esclarecimentos.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário