Saúde do Piauí avança com implantação da telemedicina

Saúde do Piauí avança com implantação da telemedicina

22/05/2018 10:11h

Compartilhar no

O dia 21 de maio se tornou uma data histórica para a saúde pública piauiense. Implantada nessa segunda-feira (21), a segunda etapa do Programa de Telemedicina do Piauí representa um salto na integração dos hospitais da rede estadual, abrindo canais permanentes de comunicação entre capital e interior por meio da internet.

No auditório do Hospital Getúlio Vargas (HGV), o governador Wellington Dias acompanhou a primeira videoconferência estabelecida entre o HGV e o Hospital Regional Dirceu Arcoverde (Heda), em Parnaíba, voltada para a troca de informações sobre o quadro de um paciente com problemas hepáticos, internado naquela unidade. A mediação tecnológica viabiliza a discussão de procedimentos, diagnósticos e prescrições, a partir da análise de especialistas do HGV, possibilitando o tratamento e a resolução de casos que antes vinham parar em Teresina. 

“Vai permitir que mais profissionais estejam integrados, mais segurança para o paciente e mais vidas salvas. Nesse momento é a rede estadual, mas pretendo também integrar às redes municipais. Garantir atendimento 24 horas com o apoio de profissionais de ponta” comemorou o governador Wellington Dias.

“A idéia é que possamos realizar reuniões clínicas envolvendo o máximo de especialistas do HGV e tentar solucionar casos de internação prolongada e sem diagnóstico no interior”, explicou o coordenador do Núcleo Interno de Regulação do HGV, Cícero Sousa Neto.

Por meio do vídeo, a equipe do Heda terá acesso a especialidades nas áreas de neurologia, clínica geral, pediatria, cirurgia geral e clínica médica.

“Haverá um contato prévio agendando e escalaremos os profissionais relacionados à área de interesse. Tudo por meio de um planejamento prévio”, ressaltou a diretora do HGV, Fátima Garcez.

A utilização desse novo recurso está sendo possível graças ao investimento em instalação de 400 km de fibra ótica entre Teresina e Parnaíba. O investimento é da IT Tecnologia, empresa piauiense que já dispõe de 1.200 km de rede de fibra na capital, e quer chegar a 62 municípios piauienses até o próximo mês de outubro. 

“Os médicos podem debater, colocar uma câmera no centro-cirúrgico e acompanhar, em tempo real, tanto aqui como lá, podem disponibilizar esse link para que alunos de Medicina em Parnaíba assistam às intervenções. A gama de possibilidades é muito grande para utilizar esse recurso”, destacou Avelino Medeiros, diretor da Agência de Tecnologia da Informação (ATI).

O Hospital Tibério Nunes, em Floriano, é outro que já explora a videoconferência como ponte para troca de informações com profissionais de outros estados. Um dos efeitos verificados lá após o uso dessa tecnologia foi o aumento da rotatividade nos leitos e redução da mortalidade. Assim que a fibra ótica se expandir, o serviço será disponibilizado também para os hospitais regionais de Picos e Piripiri.

“O impacto disso na saúde publica nós iremos ver com o tempo. Essa semente renderá muitos frutos para o SUS e para os usuários do sistema”, disse o secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto.

Participaram também do lançamento do programa, profissionais do HGV, o deputado federal Assis Carvalho e o deputado estadual dr. Hélio Oliveira.

Leia também:

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: Ccom

Deixe seu comentário