Região de Uruçuí pode ter deslizamento de terra devido às chuvas

Alerta é do Cemaden e aponta ainda para a possibilidade de ocorrência de enxurradas. Chesf estuda abrir comportas de Boa Esperança.

28/12/2021 09:03h - Atualizado em 28/12/2021 10:17h

Compartilhar no

Sinônimo de fartura por um lado, mas, por outro, causa de transtornos. A chuva que cai na região Sul do Piauí nos últimos dias tem ajudado a dar uma amenizada no tempo quente, mas também tem provocado uma série de problemas estruturais como rompimento de estradas e alagamentos em áreas habitadas.

A previsão é de mais chuva nos próximos dias, conforme o alerta emitido pelo Inmet nesta segunda-feira (27). Mas junto com este, há outro aviso de risco geológico em vigência no Piauí: a possibilidade de deslizamento de terra em áreas de encosta. É isso o que diz o Boletim de Previsão de Riscos Geo-Hidrológicos do Cemaden (Centro de Monitoramento de Desastres Naturais) emitido nesta terça-feira (28).


Foto ilustrativa: O Dia

O alerta vale para todos os municípios das regiões Sudoeste e Sudeste do Piauí, onde “considera-se moderada a possibilidade de ocorrência de eventos hidrológicos devido à previsão de pancadas de chuva no decorrer do dia”. O Cemaden não descarta a possibilidade de ocorrência de enxurradas em áreas com maior declividade, mais inundações por causa do transbordamento de rios urbanos e parcialmente canalizados e também alagamentos em áreas rebaixadas com drenagem insuficiente.

Além do Piauí, os estados nordestinos da Bahia, Sergipe, Alagoas e Pernambuco também estão sob a área de alerta, exceto que, na Bahia, o risco é considerado alto para a possibilidade de deslizamento de encostas devido ao volume de precipitação acumulado nos últimos dias naquele estado.

Produção de soja está represada após estrada romper

Com as fortes chuvas que caíram na região de Uruçuí, houve o rompimento da PI-247, que liga as cidades de Ribeiro Gonçalves e Baixa Grande do Ribeiro. O trecho é considerado estratégico para o escoamento da produção de soja da região e, com sua interdição, pelo menos dois terços do que foi colhido encontra-se represado sem ter como ser transportado nem distribuído. A informação foi confirmada pelo presidente da Associação dos Produtores de Soja do Piauí, Alzir Neto, em entrevista a uma emissora local nesta manhã.

Ainda ontem (27), a Aprosoja-PI acionou o Governo do Estado e o Governo Federal, através do DER e do DNIT, para que seja resolvido o quanto antes o problema das estradas piauienses de modo a evitar mais perdas pra o setor. O superintendente do DNIT-PI, Ribamar Bastos, disse que o órgão vai instalar um ponte provisória móvel, com apoio do Batalhão de Engenharia e Construção do Exército (BEC), em até 48 horas pra permitir o escoamento da produção represada.


Foto: Neto Fotografia

Chesf pode abrir comportas de Boa Esperança

Com as chuvas aumentando em todo o Estado, outro fator de preocupação é o aumento do nível dos rios que cortam o Piauí. No final de semana, o Rio Parnaíba transbordou e deixou famílias desabrigadas em Uruçuí. Seus afluentes na região, o Rio das Balsas, no Maranhão, e o Uruçuí Preto, também se encontram em níveis acima da média para o período. 

O que também registrou aumento foi o nível do reservatório da Barragem de Boa Esperança. Controlada pela Chesf, seu volume útil subiu de 50% para 67% em somente nove dias. O represamento da água na barragem impede o aumento do nível dos rios que cortam cidades ao longo do leito do Parnaíba como Floriano e Teresina, por exemplo. Mas a Chesf informou nesta segunda (27) que está estudando abrir as comportas para dar vazão ao volume contido e evitar que o nível de Boa Esperança suba mais.

Para o Serviço Geológico Nacional (CPRM), mesmo com o aumento da vazão, as outras cidades banhadas pelo Rio Parnaíba não devem sentir tanto com a subida de seus rios. Isso porque, vindo de um período quente, estes rios encontram-se com volume dentro da normalidade e longe de alcançarem um patamar de preocupação para risco de transbordamento.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário