Vacina: Piauí deve aplicar quase 50 mil doses de reforço da Janssen

De acordo com a Coordenação de Imunização da Sesapi, a última vez que o estado recebeu lotes do imunizante da Janssen foi em 07 de agosto.

26/11/2021 11:52h

Compartilhar no

A Secretaria de Estado da Saúde do Piauí recebeu do Plano Nacional de Imunização 49.800 doses de vacina da Janssen para o reforço da imunização da população. Segundo nota técnica emitida pelo Ministério da Saúdea recomendação é que as pessoas que receberam a primeira dose desse imunizante tomem a dose de reforço em um intervalo mínimo de dois meses, podendo este ser de até seis meses. De acordo com a Coordenação de Imunização da Sesapi, a última vez que o estado recebeu lotes do imunizante da Janssen foi em 07 de agosto, sendo 1.300 doses. As demais chegaram em 24 de junho (21.250) e 03 de Julho (27.250). 


Leia também: Teresina tem 47 mil pessoas com vacina da Covid-19 atrasada 


A nota técnica do ministério ainda explica que a estratégia pontual de aplicação deste reforço dependerá do cenário epidemiológico local e adjacências e condições específicas da população que recebera o imunizante da Janssen previamente. No documento emitido pelo ministério também é informado que até o momento, cerca de 2 milhões de doses da vacina da Janssen estão em análise do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) a qual há previsão de liberação a partir de 05 de dezembro. 

(Foto: Miva Filho/SES-PE)

A previsão do laboratório é que mais 2,8 milhões de doses sejam entregues no começo de dezembro e o restante até o fim do mês. Esses quantitativos são suficientes para a aplicação do reforço de quem se vacinou com a Janssen dentro do intervalo recomendado de até seis meses. 

Em outra nota técnica o Ministério da Saúde também explicou como deve ser feito o reforço em mulheres que tomaram a Janssen previamente e, no momento atual, estão gestantes ou puérperas. As mesmas deverão utilizar como dose de reforço o Imunizante Pfizer, respeitando o intervalo de dois meses, podendo chegar a seis meses. 

Demais reforços

Na última semana também foi comunicado pelo Ministério da Saúde que o intervalo entre a segunda dose e a dose de reforço, daqueles que se vacinaram com a CoronaVac, Pfizer e AstraZeneca, passou de seis para cinco meses. Porém aqueles que são imunossuprimidos devem contar como prazo 28 dias após a segunda dose. 

“As vacinas para dose de reforço estão liberadas para toda população acima de 18 anos, que já estão neste prazo. Por isso pedimos que quem estiver completado o seu intervalo e que já esteja sendo convocado por seu município, que tome sua dose de reforço. Conclamamos ainda aqueles cidadãos que ainda não tomaram a segunda dose que voltem aos postos de saúde e façam sua imunização”, disse o secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário