Varíola dos Macacos: Piauí confirma mais dois casos da doença

Teresina e Parnaíba são os municípios com maior número de registros até o momento

17/08/2022 15:05h - Atualizado em 17/08/2022 15:08h

Compartilhar no

Dois casos de Monkeypox que estavam em investigação foram confirmados pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), totalizando agora três casos positivos no estado. Os novos casos confirmados são referentes a dois homens, sendo um deles residente em Teresina e o outro em São Paulo, mas que estava passando férias na capital piauiense. 

Com os novos resultados, o Piauí passa a contabilizar seis casos descartados, dois casos positivos, um caso provável e mais 26 casos em investigação. As amostras que ainda seguem em investigação estão em análise no laboratório de referência do estado na Fiocruz. 

(Foto: Reprodução/Pixabay)

Segundo o relatório da coordenação de epidemiologia da Sesapi, 17 municípios, de norte a sul do estado, já notificaram casos suspeitos, sendo Teresina e Parnaíba os municípios com maior número de registros até o momento. O Centro de Informações Estratégicas e Vigilância em Saúde do estado do Piauí (Cievs) segue acompanhando e monitorando todos os casos suspeitos notificados.

“Nós verificamos algumas informações baseadas nos dados de casos suspeitos notificados aqui no estado. Primeiramente, a maioria dos casos suspeitos estão em pessoas do sexo feminino, 21 casos. Além disso, quando olhamos a faixa etária, possuímos casos suspeitos em diversos grupos, mas 60% dos casos notificados estão na faixa etária de 15 a 39 anos “, fala a coordenadora do Cievs, Amélia Costa. 

Segundo ela,  com a confirmação dos novos casos é de fundamental importância a população ficar atenta aos sinais e sintomas da doença, e procurar os serviços de saúde do município caso a pessoa comece a detectar sintomas como febre, dor de cabeça, dor muscular e o surgimento de vesículas pelo corpo. “ Esses são os principais sintomas observados da doença nos casos já confirmados pelo mundo”, destaca Amélia. Ao mesmo tempo, caso seja confirmada a infecção, é essencial seguir o período de isolamento recomendado de 20 dias”, diz a coordenadora. 

A epidemiologista destaca ainda que é essencial que todos os 224 municípios fiquem atentos à questão dos vínculos epidemiológicos. “As vigilâncias dos municípios precisam acompanhar os casos suspeitos e confirmados, além de verificar constantemente os contatos que essas pessoas tiveram, além de viagens e visitas realizadas,  para que as medidas epidemiológicas adequadas sejam adotadas, buscando evitar o aumento de casos. Além disso, é preciso que a população continue adotando as medidas higiênico sanitárias já aprendidas durante a pandemia, evitar aglomeração, higiene pessoal, uso de máscara são modos de prevenir mais casos dentro do estado”, disse a coordenadora.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: Com informações da Sesapi

Deixe seu comentário