Votação da Lei do Parto Humanizado será na próxima terça (21) na Alepi

Projeto é polêmico e trata do parto humanizado e estabelece medidas sobre o direito à gestante ter uma doula no parto

19/06/2022 09:11h

Compartilhar no

Na próxima terça-feira (21), a partir das 10h, será realizada a votação do pedido de revogação da Lei Estadual nº 7.750/2022, que trata do parto humanizado e estabelece medidas sobre o direito à gestante ter uma doula no parto. O projeto é da deputada Teresa Britto (PV).

A parlamentar é autora da Lei 7.750/22, que foi alvo de um pedido de revogação proposto pelo deputado estadual Marden Menezes (Progressistas). A Lei estabelece sobre o direito à gestante ter uma doula no parto, pré-parto e pós-parto e em situação de abortamento. Entidades médicas do Piauí são contrárias à PL e afirmam que a prática proposta pela deputada coloca em risco a saúde dos pacientes.

(Foto: Arquivo/ODIA)

“Existe um preconceito muito grande com essas profissionais, mas a Lei já existe no nosso Estado e em Teresina. Então nós estamos buscando esse entendimento para que a Lei seja efetiva. Já realizamos uma audiência e realizaremos outra na segunda e esperamos que dessa vez os representantes do Conselho Regional de Medicina e do Sindicato dos Médicos comparecem para que possamos discutir juntos. Nós queremos melhorar a Lei para que ela ampare todas as mulheres com uma equipe multidisciplinar”, explicou.

O Sindicato dos Médicos do Piauí (Simepi) fez uma convocação, por meio das redes sociais, para que médicos do Piauí estejam presentes na votação do pedido de revogação, que segundo o órgão põe em risco a saúde do binômio mãe-feto.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário