Wellington Dias visita vítimas de alagamento em Floriano e Uruçuí

A visita foi acompanhada também pela Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Direitos Humanos (Sasc).

05/01/2022 13:46h

Compartilhar no

O governador Wellington Dias visitou, nesta quarta-feira (05), as áreas que correm risco iminente de alagamento nas cidades de Floriano e Uruçuí. O gestor avaliou junto a sua equipe de governo situação dos municípios e prometeu assegurar assistência às famílias que precisarem. A visita foi acompanhada também pela Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Direitos Humanos (Sasc).

Em Floriano Wellington visitou, especificamente, o bairro São Cristóvão e o Cais do Rio Parnaíba, que teve seu nível elevado devido ao aumento da vazão da barragem de Boa Esperança, pela Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf), e que deixou a população em alerta.

Já em Uruçuí o gestor avaliou o apoio às 65 famílias desabrigadas e elogiou o trabalho integrado na cidade. ““Visitamos a Rua Anísio de Abreu, na beira rio, conversamos com moradores pra entender toda situação. Aqui temos um trabalho integrado entre a Defesa Civil do estado e do município, além da segurança, por intermédio da Polícia Militar, e também focando para o social. Estamos atentos e disponíveis para socorrer as pessoas e procurar uma solução definitiva”, disse o governador

O governador visitou também a PI-247 ao lado do diretor-geral do DER, Castro Neto. Na região, o Departamento de Estradas e Rodagem trabalhou para recuperar a rodovia que foi danificada com as chuvas da última semana de 2021. O trecho já foi liberado entre os municípios de Uruçuí e Ribeiro Gonçalves, para tráfego de veículos de passeio.

160 pessoas atingidas em Floriano

De acordo com o vice-prefeito de Floriano, Antônio Reis Neto, o município já possui 20 famílias desabrigadas, o que representa em torno de 160 pessoas, por conta das enchentes, que estão recebendo auxílio da Prefeitura. “Floriano é uma cidade cortada por vários riachos, que são ligados a galerias. Então, quando o nível do rio aumenta, há um fluxo de água maior nessas galerias, o que dificulta a drenagem dessa água, mas estamos tomando todas as providências e dando assistência aos desabrigados, que já se encontram na casa de parentes, mas colocamos as escolas à disposição de todos. Aliado a isso, estamos dando assistência alimentação e saúde”, relatou.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: Com informações ascom Governo do Piauí

Deixe seu comentário