Governadora defende piso da enfermagem e diz que Piauí estuda como pagar o reajuste

A gestora ressalvou que municípios e instituições filantrópicas terão dificuldades

05/09/2022 13:08h

Compartilhar no

A Governadora Regina Sousa confirmou na tarde desta segunda (05) que a Secretaria de Fazenda do Estado estuda uma maneira de pagar o piso salarial dos enfermeiros em todo o Piauí. No último domingo o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu o piso enfermagem  e deu prazo de 60 dias para entes  públicos e privados esclarecerem o impacto financeiro da medida. As categorias tentam um consenso para derrubar a liminar concedida pelo magistrado.

Regina Sousa comentou a decisão do ministro e destacou que municípios e instituições filantrópicas terão dificuldades. “A gente não está pagando ainda, estamos fazendo os estudos de repercussão, é um direito, sei que tem muita gente que vai ter dificuldade, nos também. Vamos ter que fazer muitos ajustes e a gente já estava fazendo os estudos para ver a repercussão. Eu acho que ele vai devolver, ele tá querendo ver por que alguns hospitais, principalmente os filantrópicos e particulares foram pedir um tempo para se adequar. Mas que é justo o piso”, afirmou Regina Sousa.

Mais cedo o senador Elmano Férrer (Progressistas) criticou a falta de uma indicação clara de recurso para custear o reajuste nos municípios e clínicas filantrópicas.  O outro senador piauiense, Marcelo Castro (MDB) também reprovou a decisão do ministro Barroso e defendeu a constitucionalidade do piso. Uma reunião entre o presidente do senado, Rodrigo Pacheco , e o ministro do STF deve discutir  o piso.

FOTO: Tarcio Cruz/ O DIA

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário