Nouga Cardoso nega greve na Educação e diz que ano letivo não será comprometido

Movimento paredista já dura mais de 170 dias e a categoria decidiu por sua continuidade em assembleia nesta quarta (03).

04/08/2022 10:21h - Atualizado em 04/08/2022 12:03h

Compartilhar no

O secretário de Educação de Teresina, Nouga Cardoso, voltou a afirmar que a greve dos professores não existe e que as escolas da rede municipal de ensino estão funcionando normalmente. Em assembleia realizada nesta quarta-feira (03) a categoria decidiu pela continuidade do movimento paredista, que já se arrasta por mais de 170 dias. 


Leia também: Greve na educação: Juiz determina audiência de conciliação entre Dr. Pessoa e Professores 


Em conversa com o Portalodia.com, Nouga Cardoso disse que a greve já chegou ao fim e relembrou a decisão judicial proferida em maio passado pelo desembargador Otton Lustosa, que manteve a ilegalidade do movimento e dobrou a multa aplicada ao Sindicato dos Servidores da Educação Municipal de Teresina, o Sindserm. 

FOTO: Assis Fernandes/ ODIA

“Nós cumprimos o que a justiça determina, então há mais de um mês não trabalhamos com essa situação de greve e as escolas estão funcionando dentro do seu ritmo de retorno no segundo semestre. As aulas retornaram dia 02 e muitas foram as manifestações apresentadas pelas direções das escolas do funcionamento normal. Os professores retornaram às atividades”, pontuou Nouga Cardoso.

Segundo o gestor, o ano letivo nas escolas municipais de Teresina não ficará comprometido por conta da greve dos professores mesmo levando em conta o que ele chamou “algumas ausências”. “O ano será concluído de forma normal mesmo considerando algumas ausências, levando ás crianças aquilo que elas têm de direito. Todos os professores sabem disso, que a gente trabalha dentro de um estado de legalidade e de assistências de direitos às crianças teresinenses”, finalizou o secretário.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário