João Magalhães

Impopular e sem comando, Dr. Pessoa é dispensado na estratégia eleitoral de Wellington

O prefeito se tornou pequeno demais para influenciar nas eleições de outubro. Sua imagem tem potencial até para prejudicar um candidato ao qual ele se alie.

10/01/2022 16:23h

Compartilhar no

O governador Wellington Dias (PT) começou a colocar em prática a estratégia para as eleições de outubro, tendo como principal objetivo eleger-se para o Senado e colocar Rafael Fonteles na principal cadeira do Palácio de Karnak. Com o MDB, Dias articulou diretamente com Themístocles Filho e Marcelo Castro. Os dois representam a parte do partido que interessa a Wellington, já que o prefeito de Teresina, Dr. Pessoa, em praticamente nada acrescenta na estratégia de 2022. 

Impopular e a frente de uma gestão desastrosa, Dr. Pessoa se tornou pequeno demais para influenciar nas eleições de outubro. Sua imagem tem potencial até de prejudicar um candidato ao qual ele se aliar.

A única moeda que ele tem em seu poder é a estrutura da Prefeitura de Teresina, mas até nisso ele se tornou dispensável. O comando das SAADs, os vereadores de Teresina e os principais secretários, estão todos com lideranças políticas já ligadas ao Wellington Dias e Rafael Fonteles.


·  SAAD Norte é comandada por Ana Paula, esposa do deputado Zé Santana fechado com Wellington e Rafael Fonteles.

·  SAAD Leste é comandada por James Guerra, indicado por João Mádisonfechado com Wellington e Rafael Fonteles.

·  SAAD Sul é comandada por Juca Alves, indicado por Jeová Alencarfechado com Themístocles, provável vice de Rafael.

·  SAAD Sudeste é comandada por Zé Nito, indicado por Themístoclesfechado com Wellington Dias e Rafael Fonteles


Dos 29 vereadores de Teresina, mais da metade é fechada com Wellington e Rafael, seja por aliança política pessoal ou partidária. Renato Berger, Deolindo Moura, Dudu, Fernanda Gomes, Ismael Silva, Luís Lobão, Neto do Angelim, Pastor Levino, Venício Ferreira, Venancio Cardoso, Euzuíla, Leonardo Eulálio, Joaqum do Arroz, Thanandra Sarapatinhas, Jeová Alencar, dentre outros, são da base governista estadual.

Além disso, até mesmo secretários municipais da Prefeitura de Teresina também apoiam o projeto Wellington e Rafael, devido ao fato de pertencerem a grupos políticos aliados do Karnak. É o caso de:


Maykon Silva, da Fundação Wall Ferraz indicado por Dudu (PT).

Ênio Portella, da Fundação Cultural Monsenhor Chaves indicado pela vereadora Fernanda Gomes (Solidariedade)

Eduardo Draga Alana, secretário de Esportesgrupo de Georgiano Neto (PSD).

Elisabeth Sá, secretária de Meio Ambiente, esposa de Henrique Pires, do grupo de Themístocles Filho (MDB).

Ricardo Monteiro, SDR, ligado a Themístocles (MDB).

Como é possível perceber, Wellington não precisa do apoio de Dr. Pessoa para conseguir obter certa influência na Prefeitura. Dr. Pessoa não pode, simplesmente, demitir seu secretariado, pois isso o levaria para uma crise política ainda mais grave, já que faria ele perder apoio de aliados importantes como Jeová Alencar, ou o próprio PT na Câmara. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário