Em apenas 17 dias, Piauí já registrou mais de 550 focos de queimadas

O número representa um aumento de mais de 118% em relação ao mês de julho.

18/08/2022 16:56h - Atualizado em 18/08/2022 17:01h

Compartilhar no

Segundo dados do sistema de monitoramento do Programa Queimadas, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), somente nos primeiros 17 dias do mês de agosto, o Piauí já registrou 559 focos de queimadas. O número representa um aumento de mais de 118% em relação ao mês de julho, quando 259 focos foram registrados durante todo o mês.


Leia também: Aeroporto de Teresina emite alerta para perigo de queimadas nas proximidades 


De acordo com o INPE, durante este mês de agosto o estado do Piauí vem se consolidando como um dos estados com maiores números de focos de queimadas do país, perdendo apenas para os estados do Pará (4.699), Amazonas (2.760), Mato Grosso (2.423), Maranhão (1.601), Tocantins (902), Rondônia (770) e Minas Gerais (619).

Foto: Jailson Soares/O Dia

Os dados apontam ainda que, de 01 de janeiro a 17 de agosto, 1.710 focos foram captados pelos satélites do INPE. Apesar do alto índice, o valor ainda é 42% menor do que o mesmo período no ano passado, quando mais de 2.900 queimadas foram registradas no período. Nos últimos cinco dias, foram 177 focos registrados, com destaque para a última terça-feira (16), quando em 24h mais de 60 queimadas foram contabilizadas em todo o estado.

O aumento das temperaturas e a redução do número de chuvas, aliados à ação humana, como o hábito de queimar o lixo ou áreas de vegetação, são fatores que contribuem para o elevado número de focos de queimadas no estado. Por isso, a recomendação é de que a população não use o fogo como agente de limpeza e não queime entulhos.

Em Teresina, a prática já é proibida por lei desde 2017. Segundo a lei municipal, é proibida a queima de resíduo sólido, mato ou qualquer outro material orgânico ou inorgânico, no âmbito do perímetro do Município de Teresina. A proibição se estende a todo tipo de queimada, inclusive, aquelas decorrentes de extrações, limpeza de terrenos, varrição de passeios ou de vias públicas na zona urbana do Município. O descumprimento da legislação pode gerar multa de até R$ 9 mil.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário