"Fui despejado de um lugar que nunca pus os pés", diz Whindersson sobre ordem judicial

Segundo Whindersson, ele não tinha conhecimento do aluguel e foi “despejado” sem nunca ter pisado os pés nos imóveis.

21/07/2022 09:27h

Compartilhar no

Na noite desta quarta-feira (20), o humorista piauiense Whindersson Nunes se manifestou pelas redes sociais sobre a ordem de despejo referente a duas salas comerciais alugadas na cidade de São Paulo. Segundo Whindersson, ele não tinha conhecimento do aluguel e foi “despejado” sem nunca ter pisado os pés nos imóveis.


Leia também: Após despedida no Albertão, Whindersson relembra início: “38 pessoas no primeiro show” 

“Mês passado eu paguei 8 mil reais em pedras pra jardim, detalhe, eu não tenho jardim. Hoje eu fui despejado de um lugar que eu nunca pus os pés dentro, 16 mil reais de Ifood e eu nem tenho esse app. Eu como a mesma comida todos os dias nos mesmos horários. Metade de todo meu custo mensal são os “pra você não custa anda”. Todo áudio que eu escuto no whats, dependendo do tempo do áudio, vai me custar entre 1.500 e 3.000 reais”, disse.

A assessoria jurídica do humorista também emitiu uma nota comentando o caso. Segundo os assessores de Whindersson, a gestão administrativa do artista é feita por uma empresa terceirizada e que ele só tomou conhecimento dos fatos e da existência dos imóveis pela mídia.


“Em relação à notícia veiculada hoje, 20 de julho, em alguns portais de notícias, sobre uma ação judicial envolvendo duas salas comerciais alugadas por Whindersson Nunes, a assessoria informa que a gestão administrativa do artista é feita por uma empresa terceirizada e que o mesmo tomou conhecimento dos fatos e da existência dos imóveis pela mídia. Ressalta ainda que todas as providências para regularização de eventuais pendências já foram tomadas”, afirma a nota.

Entenda o caso

No último dia 06 de julho, o Tribunal de Justiça de São Paulo julgou procedente uma ação de ordem de despejo contra o humorista Whindersson Nunes de duas salas comerciais localizadas em Pinheiros, zona Oeste de São Paulo. Segundo o documento, os pagamentos referentes aos aluguéis das salas comerciais, de propriedade de uma mesma pessoa, não estariam sendo feitos regularmente. Além disso, o humorista não teria cumprido um acordo feito com a proprietária de instalar aparelhos de ar-condicionado nos imóveis.


É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário