Varíola dos macacos no Piauí: primeiro caso é confirmado na cidade de Batalha

O diagnóstico foi confirmado em um paciente de 46 anos, morador da cidade de Batalha.

04/08/2022 11:47h - Atualizado em 04/08/2022 12:42h

Compartilhar no

Em entrevista coletiva realizada na manhã desta quinta-feira (04), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) confirmou o primeiro caso de varíola dos macacos no Piauí. O homem de 46 anos é morador da cidade de Batalha. Segundo a Sesapi, o diagnosticado teve contato com pessoas vindas de outros países.

O caso foi registrado no dia 03 de julho e o paciente ficou em isolamento por 21 dias. Contudo, o resultado do exame enviado ao Instituto Oswaldo Cruz só foi divulgado hoje. Ainda de acordo com a Sesapi, nenhuma pessoa que teve contato com o paciente apresentou sintomas da doença e todos testaram negativo.


Leia também: Varíola dos macacos: Veja as cidades do Piauí com casos suspeitos 



Foto: Assis Fernandes/O Dia

"Esse paciente teve, sim, contato com pessoas do estrangeiro. Ele teve toda a sintomatologia característica da doença. Com isso, esse paciente foi avaliado pelo sistema de saúde do município, foi realizada a coleta dos exames e agora finalmente saiu o resultado. O paciente está bem, já cumpriu o período de 21 dias de isolamento. Os primeiros sintomas apareceram desde o dia 03 de julho. Já está seguindo sua vida normal, sem nenhuma sequela", afirmou o superintendente de Atenção à Saúde, Herlon Guimarães.

O paciente apresentou febre, dor muscular, dores de cabeça e lesões na pele, sendo este último a característica principal da doença. Além do caso confirmado, outros cinco casos seguem em investigação e três já foram descartados. Os pacientes com suspeita da doença são das cidades de Teresina, Parnaíba, Esperantina, União e Hugo Napoleão. 

"Temos apenas um internado, até porque tem outro padrão de variáveis instalado nesse paciente. É um paciente de 60 anos de idade com outros agravamentos de saúde. É um paciente em vulnerabilidade, morador de rua. Mas segue internado e com quadro estável. Todos os outros já cumpriram 21 dias de isolamento ou estão cumprindo, mas sem nenhuma complicação", destaca Herlon Guimarães.

Foto: Assis Fernandes/O Dia

A varíola causada pelo vírus hMPXV (Human Monkeypox Virus, na sigla em inglês) tem como principais sintomas o aparecimento súbito de erupção cutânea em qualquer parte do corpo, febre, dor de cabeça, dores musculares, gânglios inchados, calafrios, exaustão e dor nas costas. 

"As lesões são em forma de vesículas até chegar a forma de pústulas. Durante 21 dias, o paciente pode transmitir mesmo com as vesículas já em forma de crosta, por isso pedimos o isolamento de 21 dias do paciente", explica o superintendente de Atenção à Saúde.

Para a prevenção, uso de máscara, distanciamento, uso de preservativo durante as relações sexuais e higienização das mãos e utensílios pessoais são essenciais. Caso o diagnóstico seja confirmado, é necessário um período de isolamento de até 21 dias devido a incubação do vírus, que normalmente vai de 6 a 16 dias, podendo se estender por 21 dias.


É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário