Acusado de matar ex-companheira no bairro Aroeiras segue foragido; polícia faz diligências

O crime de feminicídio foi cometido no dia 03 de outubro, e, após quase dois meses, o homem ainda não foi preso.

24/11/2021 12:48h

Compartilhar no

O homem suspeito de assassinar a ex-companheira, Lídia Maria da Silva, de 45 anos, no bairro Aroeiras, zona Leste de Teresina, continua foragido. A polícia civil cumpre mandado de prisão contra o suspeito que não é visto desde o dia crime, cometido no dia 03 de outubro deste ano. 

Lídia Maria aparece ao lado do filho e do ex-companheiro, suspeito do crime (Fotos: Reprodução/WhatsApp)

A Polícia Civil realizou diligência nesta quarta-feira (24). A ação fez parte da Operação Dandara dos Palmares, coordenada pelo Núcleo de Feminicídio, por meio do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). A delegada Nayana Paz, coordenadora da Delegacia Especializada em Feminicídio, destacou que “ele está foragido e continua com o mandado em aberto, mas estamos realizando diligências no intuito de localizá-lo”, pontua.


Leia também: Polícia prende acusados de matar adolescente grávida de sete meses no Rodoanel 

A Operação Dandara dos Palmares foi deflagrada nesta quarta-feira para cumprir seis mandados de prisão contra acusados de feminicídio em Teresina. Até o momento, quatro acusados já foram presos e dois seguem foragidos.

Entenda o crime

Lídia Maria da Silva (45) foi morta no sábado, 03 de outubro de 2021 pelo ex-companheiro, que não  teve a identidade divulgada. O crime aconteceu no bairro Aroeiras, zona Leste de Teresina, e seu corpo foi abandonado em uma estrada vicinal que dá acesso a uma fábrica na região. Um homem que passava pelo local às 7h30 do domingo (03) viu o corpo da vítima e acionou a polícia.

A mulher apresentava lesões no crânio, que, segundo a polícia, podem ter sido provocadas por pancadas. Segundo o delegado Danúbio Dias, há possibilidade dela ter sido apedrejada, uma vez que próximo ao corpo foram encontrados pedaços de tijolos. A vítima também apresentava sinais de luta corporal, inclusive, um de seus brincos chegou a ser arrancado.

O corpo de Lídia foi encontrado em uma estrada vicinal que dá acesso a uma fábrica na região (Foto: Divulgação/Redes sociais)

Lídia Maria residia no Parque Universitário, localizado no bairro Samapi, zona Leste da Cidade, e estava se relacionando com o suspeito há poucas semanas. Ela trabalhava como doméstica e tinha um filho adotivo de apenas 5 anos.

Antes de cometer o crime, o suspeito deixou o filho da vítima na casa de um familiar e levou a motocicleta de Lídia. Amigos lamentaram a morte trágica da mulher e escreveram em uma postagem que haviam informado sobre a índole do ex-companheiro. “O meu amor, te avisei tanto que esse moleque ia te matar. Assassino. Mas tu vai pagar, infeliz”, diz a mensagem.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário