Caso Arimateia Azevedo: Professor Barreto cumprirá prisão domiciliar

O juiz da Central de Inquéritos atendeu ao pedido da defesa

16/06/2020 17:08h

Compartilhar no

O juiz Valdemir Ferreira Santos, da Central de Inquéritos da Comarca de Teresina, acatou nesta sexta-feira(16) um pedido de prisão domiciliar apresentado pela defesa do Professor universitário Francisco de Assis Barreto, preso na última semana pelo Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) juntamente com o jornalista Arimatéia Azevedo. Os dois são acusados da prática de extorsão contra um médico.

Na decisão, o magistrado acatou os argumentos apresentados pela defesa, como o fato de o professor, de 69 anos de idade, sofrer de hipertensão arterial sistêmica , obesidade e transtorno de ansiedade. Além disso, a decisão aponta que, por não possuir vínculo empregatício com o Portal AZ, Barreto não poderia interferir na publicação de matérias relacionadas ao caso.

A defesa também alegou o fato de o professor ser responsável pelo acompanhamento e tratamento de um filho com o Transtorno do Espectro Autista (TEA). O jovem de 19 anos, de acordo com a defesa, depende quase que exclusivamente dos cuidados do pai.

Francisco de Assis Barreto é acusado de participar da prática de extorsão contra um médico (Foto: Reprodução)

O magistrado acatou o pedido de prisão domiciliar, mas determinou algumas condições que deverão ser observadas. O professor Francisco de Assis Barreto “não poderá ausentar-se da comarca de Teresina-PI sem autorização judicial em nenhuma hipótese; Não poderá manter contato com a vítima nem com os familiares desta;  Não poderá manter contato com o outro investigado nem qualquer pessoa que tenha ligação com este; Fica restringido o uso de aparelhos de comunicação apenas para situações ligadas ao atendimento das necessidades de suas condições de saúde”.

“Destaco que só poderá ausentar-se de sua residência, durante o dia, para ir ao supermercado, ou em caso de necessidade de tratamento de saúde própria ou do filho, bem como outras necessidades inerentes à saúde, ou em caso de determinação judicial para comparecimento em juízo ou perante a autoridade policial para prestar esclarecimentos relacionados aos autos da investigação”, determinou o magistrado.

O jornalista Arimateia Azevedo, que assim como Barreto estava sob custódia no 12º Distrito Policial, foi transferido na tarde desta terça-feira (16) para a penitenciária Irmão Guido. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Natanael Souza