Homem é condenado a 20 anos de prisão por matar pedreiro com espeto de ferro

Jefferson teria se desentendido com a vítima e lhe desferido golpes com espeto de ferro na região do abdômen.

29/07/2022 10:39h - Atualizado em 29/07/2022 10:49h

Compartilhar no

Jefferson Marcondes da Silva foi condenado pelo Tribunal do Júri, nesta quinta-feira (28), a 20 anos e cinco meses de prisão por ter matado com golpes de espeto de ferro o pedreiro Gilmar Marcos de Azevedo. A sentença foi assinada pela juíza Nilcimar Rodrigues de Araújo Carvalho da Comarca de Picos.

Segundo a denúncia do Ministério Público, no dia 21 de março de 2019, a vítima e o acusado estavam reunidos próximo ao Bar do Chiquinho, no bairro Belo Norte, no município de Picos, quando Jefferson teria se desentendido com a vítima e lhe desferido golpes com espeto de ferro na região do abdômen. Gilmar não resistiu aos ferimentos e veio a óbito ainda no local do crime.

O crime aconteceu menos de um mês após Jefferson ser solto. Ele havia sido preso no dia 01 de fevereiro do mesmo ano pelo crime de roubo.

Foto: Reprodução/Cidadesnanet

No julgamento, o Conselho de Sentença acolheu as qualificadoras atribuídas pela acusação de que Jefferson cometeu o crime por meio cruel e emboscada, por ter dificultado a defesa do ofendido. Com isso, decidiram condenar o réu pelo crime de homicídio duplamente qualificado, que prevê pena de 12 a 30 anos de prisão.

“De acordo com o que foi apurado o réu se dirigiu em direção à vítima dizendo: “eu não disse que ia te pegar?” Mesmo a vítima pedindo para não matá-lo, findou em dar cumprimento à sua vontade de matar a vítima, demonstrando total desapego pela vida humana e mesmo após matar a vítima ainda foi visto por uma testemunha em pé olhando para o corpo da vítima”, destaca a juíza na sentença.

Diante dos fatos, Jefferson Marcondes da Silva foi condenado a 20 anos e cinco meses de prisão. A pena deve ser cumprida inicialmente em regime fechado. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário