Homem é condenado a 72 anos de prisão por matar e esquartejar rivais em Parnaíba

Geovane Alisson de Sousa vai responder por seis dos setes crimes pelos quais foi denunciado, entre eles tortura e fraude processual.

05/11/2021 11:15h

Compartilhar no

A 1ª Vara Criminal de Parnaíba condenou um homem identificado como Geovane Alisson de Sousa a 72 anos de prisão pelos crimes de homicídio e esquartejamento cometidos contra dois rivais em fevereiro de 2018. As vítimas em questão, Henrique Lima Caldas e David Soares Maciel, foram torturadas sem chance de defesa, assassinadas por motivo torpe e tiveram seus corpos esquartejados e jogados no quintal da casa de Geovane.


O crime foi cometido em fevereiro de 2018 e chocou a população parnaibana - Foto: Divulgação/Polícia Civil

O promotor de justiça Rômulo Cordão, que atuou pela condenação de Geovane, lembrou que o crime chocou a população de Parnaíba e ganhou repercussão nacional pela crueldade com que foi cometido. “As vítimas, após serem mantidas em cárcere privado, foram torturadas, assassinadas com emprego de meio cruel e recursos que tornaram impossíveis suas defesas. O David Soares Maciel ainda teve seu cadáver vilipendiado”, discorreu o representante do Ministério Público na peça.

Para a justiça, ficou comprovado que o réu participou de todos os delitos mencionados junto com os demais coautores. Ele foi condenado por seis dos sete delitos apontados na denúncia apresentada elo Ministério Público: dois homicídios, um com cinco e outro com quatro qualificadoras, ocultação de cadáver, vilipêndio de cadáver, tortura e fraude processual.

Os demais autores do crime, também presos, aguardam a designação de sessão plenária de julgamento do Tribunal do Júri.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: Com informações do Ministério Público

Deixe seu comentário