Operação da PF mira grupo especializado na produção de explosivos

A ação, denominada de Letalon, dá cumprimento a 12 mandados de prisão preventiva e tem o apoio do Grupo de Repressão ao Crime Organizado.

15/03/2018 08:20h - Atualizado em 15/03/2018 10:26h

Compartilhar no

Atualizada às 10h26min

Além de grupos envolvidos em ataques a instituições financeiras no Piauí e no Maranhão, a Operação Metalon da Polícia Federal objetiva também desarticular grupos especializados na produção e no fornecimento de explosivos. A ação desta quinta-feira envolve 26 policiais federais, além de 18 policiais civis do Estado. Estão sendo cumpridos 12 mandados de prisão preventiva. Boa parte dos alvos da Justiça já se encontram presos por cometimento de outros delitos.

Por meio de nota, a PF informou que o nome da operação faz alusão aos artefatos metálicos utilizados para o armazenamento de substâncias explosivas. 

Confira a nota da PF na íntegra

A Polícia Federal no Piauí, juntamente com o Grupo de Repressão ao Crime Organizado (GRECO) da Polícia Civil/PI e apoio da Polícia Civil de Timon/MA, deflagraram na manhã de hoje (15/03/2018) a Operação Metalon com o objetivo de investigar grupo especializado em ações criminosas contra instituições financeiras nos Estados do Piauí e Maranhão, além da produção e fornecimento de explosivos para outros grupos.

A ação de hoje contou com a participação de 26 policiais federais e 18 policiais civis dos dois estados e resultou no cumprimento de 09 (nove) mandados de busca e apreensão em Teresina/PI e Timon/MA. Foram ainda expedidos 12 (doze) mandados de prisão preventiva, sendo que parte do grupo já encontrase preso por conta de outros delitos.

O nome da operação faz alusão aos artefatos metálicos utilizados para o confinamento das substâncias explosivas.

Será concedida entrevista coletiva às 11h de hoje (15/03) na Superintendência Regional da Polícia Federal onde serão apresentados maiores detalhes sobre as investigações.

Teresina/PI, 15 de março de 2018

Iniciada às 08h20min

A Polícia Federal do Piauí deflagrou, nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira (15) uma operação para prender pessoas envolvidas em ataques a instituições financeiras no Piauí. A ação foi denominada de Operação Metalon e consiste no cumprimento de vários mandados de prisão e de busca e apreensão em toda a Teresina.

Desde cedo a movimentação na sede da Superintendência da Polícia Federal é intensa. Pelo menos duas pessoas já teriam sido conduzidas pelos agentes para prestar esclarecimentos. A ação é coordenada pela Delegacia de Repressão a Crimes Contra o Patrimônio e Tráfico de Armas da PF, liderada pela delegada Larissa Magalhães.

Hostórico

No último mês, o Piauí, em especial as cidades que ficam na região próxima a Teresina, se viram acuadas diante da ação de quadrilhas especializadas em ataques a instituições financeiras. No dia 19 de fevereiro, dois carros-forte de empresas privadas de transporte de valor foram alvo dos bandidos, que interceptaram os veículos e os explodiram. 

O primeiro caso se deu na estrada que leva a Campo Maior, onde os criminosos levaram uma quantia superior a R$ 1 milhão. Um vigilante foi baleado e acabou tendo sua morte cerebral atestada pelo médicos no começo deste mês. A segunda ocorrência foi no próximo a Água Branca, no povoado Estaca Zero.

Três dias depois, um outro carro-forte foi interceptado por criminosos na BR-316, entre Timon e Caxias. O veículo acabou saindo da pista e os quatro vigilantes ficaram levemente feridos. O roubo não chegou a ser concretizado por causa do acidente.

Leia também:

Após ataques, pelo menos 3 agência do BB funcionam sem dinheiro em espécie 


Aguarde mais informações.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Maria Clara Estrêla

Deixe seu comentário