Piripiri e Corrente são alvos da expansão de facções no Piauí, diz delegado

Essas duas cidades estão no ranking dos municípios que tiveram o maior número de homicídios no primeiro semestre

02/08/2022 13:45h - Atualizado em 02/08/2022 14:04h

Compartilhar no

Com a atuação da Força Tarefa que reúne polícias federais e estaduais e que tem inibido a atuação da criminalidade no litoral do Piauí, as facções criminosas que patrocinam ações violentas têm migrado para outros municípios do interior do Estado. A constatação vem do serviço de inteligência da Polícia Civil assim como dos números do primeiro semestre deste ano. 

Gerente de policiamento do interior, o delegado Marcelo Leal explicou que as facções intensificaram presença em todas as regiões do estado. No Norte, sufocadas no litoral, os criminosos migraram para o município de Piripiri. Já no Sul, a preocupação é com a cidade de Corrente. 


Leia tambémIntegrantes do PCC são presos suspeitos de realizarem execuções na zona Leste de Teresina 


“A gente aperta em um canto e a facção quer ir para outro. Piripiri é um grande problema. As facções querem se implantar lá e temos diuturnamente atuado para que isso não ocorra. Em Corrente, também temos uma situação de combate com grupos criminosos da Bahia que querem se instalar no Sul do estado”, resume Marcelo Leal.

Marcelo Leal (Foto: Jailson Soares / O Dia)

Essas duas cidades estão no ranking dos municípios que tiveram o maior número de homicídios no primeiro semestre, segundo revela o gerente do interior. A lista é liderada por Teresina e segue com Parnaíba, Luís Correia, Piripiri e Corrente. 

“Temos enviado reforço da própria delegacia-geral e grupos de apoio. Temos a Força Tarefa das polícias federais e estaduais no litoral que tem dado bons resultados e desembocado no freio nos homicídios”, disse sobre as ações desenvolvidas pela polícia. Para o segundo semestre, a expetativa para o interior gira em torno ainda das campanhas eleitorais. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário