Recém-nascido morre após ser atacado por porcos em Palmeirais; mãe foi presa

Bebê deu entrada na Evangelina Rosa com corte e fratura na mão e com ferimentos nas nádegas. Mãe deverá responder por abandono e infanticídio.

21/12/2021 07:51h - Atualizado em 21/12/2021 07:59h

Compartilhar no

A Maternidade Dona Evangelina Rosa (MDER) confirmou na noite desta segunda-feira (20) a morte do bebê recém-nascido que deu entrada na unidade com ferimentos graves após ser atacado por porcos. O fato ocorreu na cidade de Palmeirais. O bebê chegou a receber os primeiros socorros no Hospital Estadual Aristides Saraiva de Almeida, mas não resistiu e acabou falecendo no começo da noite. Ele foi socorrido pelos populares, que ouviram o choro da criança no meio do mato.

Por meio de nota, a MDER informou que recebeu o pedido de regulação para que a criança fosse transferida de Palmeirais para Teresina em caráter de urgência. O bebê teria nascido em parto externo, ou seja, no meio do mato, e teria entre sete e oito meses de vida, pesando apenas 2kg,353g. O recém-nascido teria sido vítima de maus-tratos.


Bebê recém-nascido deu entrada na Maternidade Evangelina Rosa em estado grave - Foto: O Dia

“Apresentava o punho esquerdo fraturado, ferimento cortante na mão direta, escoriações nos membros inferiores e ferimentos nas duas nádegas. Encontrava-se chorosa, gemendo, cianótica (cor azulada ou acinzentada da pele, das unhas dos lábios ou ao redor dos olhos” Recebeu aporte de dois cateteres nasais, três litros por minuto com melhora da cianose”, fiz a nota.

No entanto, ao dar entrada na maternidade, o bebê já se encontrava sem vida. O médico de plantão acionou a polícia por haver indícios de crime de infanticídio, ou seja, assassinato de infante (criança).

Mãe acabou presa

O caso do bebê machucado e sem vida recebido pela Maternidade Dona Evangelina Rosa nesta segunda-feira (20) virou assunto de polícia. Pela suspeita de infanticídio, a unidade hospitalar acionou a Polícia Civil, que iniciou as investigações e chegou até a mãe do recém-nascido. Identificada como Jéssica da Luz Batista e Silva, 19 anos, ela foi presa em flagrante pela suspeita de abandono de incapaz.

De acordo com o chefe de investigação da Delegacia de Palmeirais, Francisco Soares, a jovem teria abandonado o filho no mato para que o pai não tomasse conhecimento de sua existência, quando a criança foi atacada pelos animais. “Estamos agora aguardando o laudo, que é o que vai dizer exatamente qual a natureza dos ferimentos no bebê, mas, a princípio, temos um caso de abandono de incapaz seguido de infanticídio”, explicou Francisco.

O caso seguirá sob investigação por parte da Polícia Civil e está sendo acompanhado também pelo Conselho Tutelar.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário