Governo desmente “Fake News” e diz que cumpre decisão do STF sobre ICMS dos combustíveis

Além dos combustíveis, o teto de 18% da alíquota de ICMS é aplicado ainda em energia elétrica e prestações de serviços de comunicação.

27/10/2022 08:23h - Atualizado em 27/10/2022 08:33h

Compartilhar no

O Piauí, assim como os demais estados brasileiros, segue cumprindo a Lei Complementar Federal nº 194/22, que fixou o teto da alíquota do ICMS dos combustíveis em 18%. A Lei Federal foi ratificada no estado com a sanção da Lei nº 7.846. Além dos combustíveis, o teto de 18% da alíquota de ICMS é aplicado ainda em energia elétrica e prestações de serviços de comunicação. Nas redes sociais circularam notícias falsas de que o Governo Estadual estaria cobrando 19% de imposto sobre o combustível.

Recentemente estados e União se reuniram no Supremo Tribunal Federal para discutir mudanças na regulamentação do imposto, porém não entram em acordo sobre alteração da alíquota. 


Leia Mais: 

ICMS dos Combustíveis: Estados e União não entram em acordo sobre alteração do imposto 

Governadora confirma “buraco” de R$ 60 mi em setembro com redução do ICMS e aguarda STF 
Estados e União buscam solução e alíquota do ICMS dos combustíveis pode ser facultativa 


Além de cumprir a Lei 194/22, o Piauí também segue a determinação do ministro André Mendonça, do Supremo Tribunal Federal (STF), que fixou a base de cálculo do imposto para os combustíveis na média de preços praticados nos últimos 60 meses. A medida se baseia no artigo 7º da Lei Complementar (LC) 192/2022, que trata do óleo diesel, para os demais combustíveis, com efeitos a partir do dia 1º de julho de 2022.

“A Lei Federal 194/22 e mais a lei estadual posterior fixam alíquota de 18% para combustíveis derivados de petróleo. O ministro André Mendonça tem decisão obrigando os estados a aplicarem essa alíquota sobre o preço médio dos últimos 60 meses. Então, os estados cumprem as leis e mais a decisão do ministro André Mendonça”, informa o secretário de Fazenda, Antonio Luiz.

De acordo com o secretário, não há como os estados mudarem a alíquota para qualquer outro valor acima dos 18%.

Foto: Assis Fernandes / O Dia

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: Com informações Governo do Piauí