Greve na Educação: Dr. Pessoa ameaça demitir professores que não retornarem à sala de aula

A greve se arrasta desde o dia 07 de Fevereiro, o MP pediu o afastamento do Prefeito pela não concessão do reajuste

30/06/2022 11:47h - Atualizado em 30/06/2022 12:15h

Compartilhar no

O Prefeito de Teresina, Dr. Pessoa, ameaçou na manhã desta quinta (30) demitir os professores da rede municipal de ensino que não retornarem às salas de aula.  Em greve a 144 dias os educadores cobram o pagamento linear do reajuste de 33,24% para toda a categoria. Em decorrência da crise na educação o Ministério Público do Piauí pediu o afastamento do Prefeito de Teresina, Dr. Pessoa, e do Secretário de Educação do município, Nouga Cardoso, além da condenação ao ressarcimento de R$ 191 milhões do Fundeb.


Leia Mais: 
Ministério Público pede afastamento de Dr. Pessoa e devolução de R$ 191 milhões do Fundeb 
Nouga Cardoso é intimado para apresentar defesa sobre pedido de afastamento do MP 
Em meio a crise, Pessoinha admite que governo de Dr. Pessoa "não está legal" 


A greve se arrasta desde o dia 07 de Fevereiro, segundo o MP, Dr. Pessoa teria cometido o ato de improbidade administrativa em decorrência do abuso da função pública ao não conceder o reajuste linear de 33% para os professores e sancionar o projeto de reajuste de 16%, mesmo a prefeitura recebendo sucessivos aumentos nos repasses do Fundeb. No processo, o promotor solicita ainda a suspensão dos direitos políticos de Dr. Pessoa e Nouga Cardoso por cinco anos.

Em entrevista Dr. Pessoa mais uma vez atacou os professores e ameaçou os profissionais de demissão. “O que tínhamos para fazer já fizemos para resolver a situação dos professores, que é pagar mais de que qualquer um do nordeste ou do Brasil. Se alguém não retornar, dentro de um olhar jurídico, dentro de um olhar constitucional, dentro da lei, tem autorização do prefeito para demitir”, disse Dr. Pessoa.

O Sindicato dos Servidores Municipais (Sindserm) realiza ao longo desta quinta (30) um ato em frente a Câmara Municipal de vereadores, protestando contra a decisão do prefeito. 

FOTO: Tarcio Cruz/ O DIA

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário