Alta do Diesel não deve impactar em frota de ônibus e valor da passagem em Teresina

Empresas percebem aumento da demanda e planejam ampliar a oferta do serviço para cobrir custos operacionais

10/05/2022 10:33h - Atualizado em 10/05/2022 11:16h

Compartilhar no

A Petrobrás anunciou, nesta segunda-feira (09), um novo aumento nos preços do diesel. O valor médio de venda do combustível para as distribuidoras passará de R$4,51/litro para R$4,91/litro, mas, segundo o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Teresina (Setut), as empresas já estão comprando diesel a R$6,90/litro.

Apesar dos custos operacionais terem aumentado, o Setut garantiu que Teresina não ficará desassistida de ônibus como deve ocorrer em outras cidades brasileiras. É o que a Agência Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU) anunciou, ao destacar que poderá ocorrer falta generalizada de ônibus em algumas capitais com esse novo aumento do diesel.

A entidade diz que as operadoras serão obrigadas a racionar combustível e oferecer apenas viagens no horário de pico, entre 5h e 8h e entre 17h às 19h. No restante dos horários, uma grande quantidade de ônibus deve ficar retida nas garagens e terminais.

(Foto: Arquivo ODIA)

O coordenador técnico do Setut, Vinícius Rufino, afirma que Teresina não se enquadra nessa realidade porque vem operando com frota reduzida de 205 ônibus, e, mesmo transportando apenas 95 mil passageiros por dia, as empresas veem uma tendência de aumento na demanda do usuário para os próximos meses, o que significa aumento de arrecadação.

O aumento do preço do diesel nos custos operacionais do sistema de transporte de Teresina já é de 29%. De acordo com dados do Setut, o impacto financeiro no setor já chegou a cerca de R$900 mil por mês. Os reajustes acumulados de janeiro a abril deste ano já somaram impacto de R$650 mil mensais.

“Durante o pico da pandemia, a frota chegou a zero, por conta dos decretos municipais proibindo a circulação dos ônibus e também porque as pessoas estavam impedidas de ir e vir por conta do vírus. À medida que os decretos foram afrouxando e as pessoas voltaram à vida normal, percebemos o aumento da demanda. Antes da pandemia, os ônibus transportavam 220 mil passageiros por dia com uma frota de 450 ônibus. Hoje, só rodam cerca de 55% dos ônibus, para atender uma demanda de 95 mil passageiros”, disse.

Segundo Rufino, é um número pequeno, mas há uma tendência de aumento, pois a população tem utilizado mais o serviço. De acordo com o coordenador técnico do Setut, apesar do aumento do preço do diesel, o valor da passagem não deverá sofrer reajuste, permanecendo os R$4 (inteira) e R$1,35 (meia). “Vale lembrar que a Prefeitura de Teresina, junto com o Conselho de Trânsito, versa a respeito sobre os valores praticados nas catracas dos ônibus aos passageiros”, complementa.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário