Trabalhadores do transporte coletivo ocupam a Prefeitura de Teresina

Os trabalhadores informaram que continuarão no Palácio da Cidade até que suas demandas sejam atendidas

30/06/2021 09:41h - Atualizado em 30/06/2021 11:07h

Compartilhar no

Atualizado às 11h

Alguns trabalhadores do transporte coletivo da Empresa Emtracol ocuparam a Prefeitura de Teresina nesta quarta-feira (30). Eles cobram o pagamento dos salários dos profissionais, que estão há sete meses sem pagamento, bem como outros direitos, como ticket alimentação e plano de saúde.

(Foto: Divulgação/WhatsApp)

O cobrador Carvalho denuncia o descaso da empresa com os trabalhadores e diz aguardar uma resposta positiva, por parte da Prefeitura, para tentar solucionar esta problemática.

“Estamos em uma situação insuportável, sem salários. Como podemos sobreviver? O transporte coletivo é uma concessão pública, mas em Teresina quem manda são os empresários. Porque o prefeito não municipaliza ou cancela as licitações já que não estão prestando o serviço adequadamente? Quem sofre são os trabalhadores e a população sem ônibus. Os trabalhadores rodoviários chegaram ao ápice, não aguentam mais e só sairemos daqui quando tivermos nossos problemas resolvidos", disse.

Ainda de acordo com os profissionais, ao longo de 2020, os trabalhadores rodoviários receberam menos de um salário mínimo, e, em 2021, empresas estão sem pagar os salários há sete meses. “Há mais de um mês em greve, cresce a fome na categoria e indignação. Os empresários (Setut) com sua ganância não pagam e a Prefeitura se coloca completamente omissa”, afirma a categoria.

Contraponto

Por meio de nota, o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) esclarece que o sistema de transporte em todo o país vem enfrentando dificuldades desde o início da pandemia de Covid-19 e em Teresina as empresas do setor não têm conseguido manter suas obrigações trabalhistas, devido às dificuldades financeiras e queda de arrecadação das empresas no sistema. 

O Setut informa ainda que o sistema não tem se sustentado com o arrecadado e que a falta de repasse de subsídios pela Prefeitura de Teresina, firmado legalmente em contrato, tem provocado fortes impactos no setor e desequilíbrio para funcionamento do transporte público.

Matéria original

Os motoristas e cobradores da Empresa Emtracol realizam, na manhã desta quarta-feira (30) uma manifestação em prol dos direitos da categoria. O ato aconteceu às 7h na Praça Rio Branco, Centro de Teresina. Os trabalhadores estão há sete meses sem receber salários, e, alguns, inclusive sem receber o repasse do Governo, definido em acordo.

Alguns motoristas e cobradores, representando a categoria, foram até o Palácio da Cidade para uma reunião com o prefeito de Teresina, Dr. Pessoa e com o secretário de Governo, André Evangelista, marcada para às 9h.

(Fotos: Divulgação/WhatsApp)

Osvaldo Gomes (44) é cobrador na empresa e um dos representantes da categoria. Ele conta que a situação do transporte público, especialmente da Emtracol, é bastante delicada. Desde o dia 19 de março, por exemplo, todos os ônibus estão parados. Com isso, os coletivos que circulam nessas linhas deixaram de existir.

“Para nós que estamos a sete meses sem receber salário, está muito difícil, ainda mais para quem tem família e filhos. Eu mesmo tive que voltar a morar com meus pais. Os acordos entre a empresa e os trabalhadores foram firmados desde o ano passado, mas eu, por exemplo, não recebo pagamento nenhum da empresa desde fevereiro, e o do Governo ainda passei alguns meses sem receber”, enfatiza.

Mais de 100 trabalhadores estão vivendo situação semelhante à de Osvaldo Gomes. Os profissionais tentaram negociar com a empresa, mas, de acordo com o cobrador, a Emtracol alega não ter como fazer os pagamentos enquanto a Prefeitura de Teresina não repassar os subsídios feitos em acordo. “Na empresa, eles fecharam os portões e não recebem ninguém. Estamos totalmente parados e nem os 30% estão rodando”, acrescentou.

A equipe de reportagem do PortalODIA.com tentou contato com a Empresa Emtracol, mas ainda não obteve retorno.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário