Bancários realizam manifestação e denunciam aumento de casos de assédio moral e sexual

O ato é um movimento nacional. Em Teresina, a categoria percorreu as principais agências bancárias no centro

19/08/2022 09:00h - Atualizado em 19/08/2022 11:46h

Compartilhar no

Em manifestação realizada na manhã desta sexta-feira (19), membros do Sindicato dos Bancários do Piauí (SEEBF/PI) percorreram ruas do centro de Teresina reivindicando algumas pautas importantes para a categoria. Segundo o presidente do Sindicato, Odaly Medeiros, dentre os temas está a luta contra o assédio moral e sexual sofrido pelos profissionais, salarial dos trabalhadores do ramo financeiro nacional, e a campanha geral sobre as condições dos brasileiros.

Presidente do Sindicato, Odaly Medeiros (Foto: Assis Fernandes/ODIA)

Com relação ao assédio moral e sexual, Odaly Medeiros pontua que muitos casos não são denunciados por falta de provas. “Quando o trabalhador é assediado, o colega de trabalho presencia, mas não quer se indispor, muitas vezes com receio de também ser punido, e normalmente esse assédio vem da hierarquia da empresa”, cita.

O presidente do Sindicato dos Bancários enfatiza que as denúncias aumentaram, especialmente no período da pandemia, e que muitos trabalhadores são assediados para que cumpram metas abusivas. De acordo com ele, o principal prejuízo é o adoecimento mental. “Tem trazidos adoecimento psíquico. Temos psicólogos acompanhando a categoria e estamos com a demanda lá em cima, pelo estresse, pelo assédio, das metas abusivas”, relata.

Odaly Medeiros acrescenta que, “pela primeira vez, uma única categoria colocou no acordo coletivo o combate ao assédio moral e sexual. Estamos com essa pauta na mesa de negociação, tamanho é o impacto deste tema”, completou, destacando que a categoria está na data do dissídio. Outra pauta apresentada pela categoria é a defesa dos bancos públicos. Para Odaly Medeiros, a categoria não aceita a privatização.

Durante o ato, a categoria percorreu as principais agências bancárias no centro de Teresina, como a Caixa Econômica Federal da Praça Rio Branco, o Banco do Nordeste, Bradesco, Santander e Itaú. A manifestação encerrou em frente à agência do Banco do Brasil da Rua Álvaro Mendes.

Campanha nacional

A campanha nacional é fruto de reivindicações oriundas de diversos sindicatos do país e culminou com uma minuta entregue aos bancos, em 15 de junho deste ano, com a expectativa de resolução dos problemas apresentados ou propostas de melhorias das condições de trabalho.

Segundo o sindicato que representa a categoria, a manifestação acontece diante da ausência de contraproposta por parte dos banqueiros, que não atenderam as reivindicações propostas pela categoria. Os protestos acontecem em várias cidades do país para dar voz e visibilidade à campanha nacional.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário