Santa Maria da Codipi: buracos na Avenida Poti causam acidentes e transtornos a moradores

A lentidão do transito no local facilita inclusive a ação de criminosos, que aproveitam enquanto motoristas desviam de buracos para cometer assaltos.

11/08/2022 13:23h - Atualizado em 11/08/2022 14:01h

Compartilhar no

Moradores e pedestres que passam pela Avenida Poti, em frente ao Cemitério do Santa Maria da Codipi, têm encontrado dificuldades para ir e vir. Isso porque o trecho se encontra totalmente esburacado e as crateras abertas no asfalto têm causado uma série de acidentes, facilitando inclusive a ação de criminosos. É que os motoristas são obrigados a reduzir a velocidade para desviar dos buracos e com isso acabam sendo alvo de assaltantes, sobretudo durante a noite.

Buracos na Avenida Poti causam transtornos à moradores e motoristas (Foto: Assis Fernandes/ODIA)

A situação já dura cerca de três meses e os moradores reclamam não só da insegurança que é passar pelo trecho. Os acidentes também são comuns, principalmente com quem trafega em veículos de menor porte como bicicletas e motocicletas. “Já caiu um motoqueiro que quebrou um bocado de peça da moto. Tem muitos deles que vêm em alta velocidade por não conhecerem a estrada e acabam caindo quando tentam passar. Gente que se feriu, gente que ficou dentro de buraco”, relata o senhor Raimundo Nonato Lima.

Morador do bairro Santa Maria da Codipi há 56 anos, ele comenta também que a situação de insegurança no trecho em frente ao cemitério tem tirado o sossego de quem mora e de quem passa pelo local. “As pessoas sabem que se desacelerar, os bandidos vêm e roubam tudo. Aí tem aqueles que se apressam para passar e quebra para-choque, rasga pneu. Quando a noite cai, as pessoas evitam até ficar nas calçadas porque sabem que os criminosos vão começar a chegar para esperar os motoristas desavisados”, finaliza Raimundo.

Raimundo Nonato Lima é morador do bairro Santa Maria da Codipi há 56 anos e comenta sobre a situação de insegurança no trecho (Foto: Assis Fernandes/ODIA)

A buraqueira no trecho da Avenida Poti não prejudica somente veículos de menor porte. Caminhões, carretas e ônibus também são obrigados a reduzir a velocidade para desviar das crateras e, com isso, o trânsito no local se torna lento em determinados horários de maior fluxo. Isso, porque não há como mais de um veículo passar ao mesmo tempo. 

Dono de uma oficina mecânica em frente ao Cemitério da Santa Maria da Codipi, o senhor Genival Ferreira conta que a procura por seus serviços aumentou devido à buraqueira. A maioria são de motoristas e motociclistas que tentam passar pelo trecho enfrentado os buracos e acabam ficando no meio do caminho.

“Tem uns dois ou três meses que quase todo dia fica um carro aí. Em geral é quem não conhece a região e não sabe que os buracos são fundos. Eles cabem um carro direitinho. Outro dia mesmo um carro bateu em um buraco e ficou lá mesmo. O pneu rasgou e teve que chamar um reboque. Fora o tanto de gente aqui por perto que já se acidentou porque perde o controle da moto e vai direto para o chão. Esses buracos aí do tamanho que estão não tem como a gente passar por dentro. Só desviando”, relata Genival.

Dono de oficina conta que seus serviços estão sendo mais procurados por conta da buraqueira (Foto: Assis Fernandes/ODIA) 

Enquanto a reportagem do Portalodia.com esteve no local, havia uma equipe da Eturb (Empresa Teresinense de Desenvolvimento Urbano) trabalhando. No entanto, o serviço que estava sendo executado era a instalação de caneletas para ajudar no escoamento do esgoto na lateral da Avenida Poti e não para tapar a buraqueira.

A reportagem buscou a Eturb e o órgão informou que uma equipe foi até o local para "realizar os devidos reparos no sistema de microdrenagem da via". Segundo o órgão, posteriormente será feita a recuperação asfáltica.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário