Estepes e macacos de carro viram alvo de furtos no Centro de Teresina

Porém, a Polícia não tem números oficiais sobre essas ocorrências. Porque, na maioria das vezes, os casos não são denunciados aos órgãos de segurança

10/05/2022 12:05h

Compartilhar no

Estacionar no Centro de Teresina era não é uma tarefa fácil. E como se não bastasse a demora para encontrar uma vaga disponível, donos de veículos agora precisam se preocupar também com furtos de estepes e outras peças de porta-malas dos carros na região central da capital. Foram pelo menos três denúncias recebidas recentemente pelo Portal O Dia, duas de furto de estepes e uma de um macaco e pertences pessoais, como mochilas e documentos.

Em uma delas, uma das vítimas do furto, que não quis se identificar temendo represálias, contou a nossa reportagem que deixou o carro estacionado próximo à Praça da Bandeira, em um domingo de manhã, para participar de atividades religiosas na Igreja do Amparo. Quando voltou, não viu nada de anormal dentro do carro.

“Ao sair da igreja, quando cheguei no carro, vi que o alarme havia disparado, mas não vi nada de anormal, nem de sumiço de alguma coisa na parte interna. Só quando cheguei na casa da minha mãe, que fui abrir o porta-malas, percebi que o tapete estava fora do lugar. Foi aí que dei fé que uma mochila e o macaco do carro não estavam lá”, disse a vítima. Como o furto foi percebido após ter saído do local onde o crime ocorreu, ele não chegou a informar a PM sobre o crime.

Estepes e macacos de carros estacionados no Centro de Teresina são alvos de furtos (Foto: Assis Fernandes / O DIA)

E não informar aos órgãos de segurança agrava o problema. O Comandante do 1º Batalhão da Polícia Militar, Marcelo Barros, afirmou que nesses casos não registrar Boletins de Ocorrência ou mesmo não informar ao COPOM esse crime, tem dificultado o trabalho da PM. “Não tomamos conhecimento dessa prática. Infelizmente, muitas pessoas que foram vítimas não denunciam ou mesmo que não chame a viatura, ao menos ligar para registrar o caso. Isso precisa virar estatística para nós, pois com a ausência de dados não há como dirigir nossas equipes corretamente para coibir esse crime”, alertou o comandante.

Passado o furto, a vítima amargou o prejuízo. E quando vai ao Centro, evita deixar nos estacionamentos públicos. “Hoje, prefiro pagar mais em um estacionamento privado, do que correr o risco de ter um estepe ou um macaco levados”.

Ocorrências devem ser denunciadas

Em caso desse tipo de furto, a população deve ligar à Polícia Militar, através do número 190. Mesmo que não peça uma viatura para o local, o simples fato de informar à PM, ao COPOM, já auxilia no registro dos casos e dos locais onde o crime frequentemente acontece.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário