Famílias cobram da Prefeitura regularização de terreno no Planalto Uruguai

São 72 famílias que ocupam uma área chamada de Mirante do Uruguai próximo ao residencial Dom Avelar. Terreno tem 10 mil m² e é usado para cometimento de crimes.

30/11/2021 10:08h - Atualizado em 30/11/2021 10:40h

Compartilhar no

Representantes das 72 famílias que estão assentadas em um terreno sem uso no bairro Planalto Uruguai, zona Leste de Teresina, estiveram nesta manhã (30) na Câmara Municipal de Teresina cobrando das autoridades e da Prefeitura a regularização da área que ocupam. O terreno, segundo eles, está abandonado e serve de reduto para cometimento de crimes. A área foi batizada por eles como Mirante do Uruguai.

Eles cobram do prefeito Dr. Pessoa (MDB) um posicionamento a respeito da destinação que será dada ao terreno e apoio para que as famílias que lá vivem possam construir moradias dignas e povoar o local da forma correta com as garantias de que poderão permanecer lá. Segundo Francisco Vitor, vendedor e um dos ocupantes do Mirante do Uruguai, as famílias que vivem no local estão em situação precária, a maioria é humilde e está lá por não ter condições de pagar aluguel em outros pontos da cidade.

“Tem gente que mora lá de favor. A gente reivindica a presença do prefeito ou de alguma autoridade pública para ir até o local e dar uma posição para a gente para saber se conseguiremos esse espaço. É um espaço que só serve para queimada, para desmanche de moto, para assalto e para descarte de lixo. É uma área bastante ampla de 10 mil metros quadrados e que não é usada para nada de útil”, explica.

Foto: Tárcio Cruz

O terreno do Mirante Uruguai, de acordo com Vitor, tem 10 mil m² e fica próximo ao Residencial Dom Avelar. Na Câmara Municipal, ele, como representante das famílias que ocupam o local, pediu que o prefeito Dr. Pessoa se manifeste sobre a situação e cumpra com as promessas que foram feitas durante a campanha. “Como ele falou tanto quando foi candidato que queria ajudar os pobres na moradia, educação e saúde, a gente está querendo ver agora se ele quer realmente ajudar os pobres”, disse o morador.

Câmara disse estar com canal de diálogo aberto

Em conversa com a reportagem de O Dia, o vereador Enzo Samuel (PDT) reiterou que a Câmara Municipal de Teresina está aberta a discutir os problemas da população e reconheceu que a moradia é um dos principais desafios de qualquer gestão. “É um dos imensos problemas não somente de Teresina, mas de todas as grandes capitais. Estamos de portas abertas para poder discuti, debater e decidir o que for melhor para nossa cidade. No que a Câmara puder contribuir na resolução dos problemas, levando também até a Prefeitura, nós vamos contribuir”, afirmou o parlamentar.

O outro lado

O Portalodia.com procurou a Empresa Teresinense de Desenvolvimento Urbano (Eturb) e aguarda um posicionamento do órgão a respeito da situação das famílias que ocupam o Mirante do Uruguai.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário