Marcos Vitor: mãe de vítima diz que pais custeiam fuga de estudante acusado de estupro

Estudante de Medicina está há mais de sete meses desaparecido

12/05/2022 11:15h - Atualizado em 12/05/2022 12:21h

Compartilhar no

Mais de sete meses após ser expedido o mandado de prisão de Marcos Vítor Aguiar Dantas, de 22 anos, acusado de abusar sexualmente de duas irmãs e duas primas, o estudante de Medicina segue foragido da Polícia. Já a família das vítimas não consegue fugir da dor que é ter casos de estupro entre familiares. O Sistema O Dia realizou hoje (12) uma entrevista exclusiva com Priscilla Karine, mãe de uma das vítimas.


Leia também: "Se aproveitava da confiança", diz mãe de criança abusada desde os 5 anos em Teresina 

Ela denunciou que o acusado está sendo mantido pelos pais, já que foi expulso da faculdade em que estudava, na cidade de Manaus. “Ele é financiado pelos pais, avós paternos e maternos. A mãe acompanha ele na fuga. Ele não está só. A família dele toda apoia ele. Diz que é a gente que está caluniando, que uma criança de três anos inventou a história”, garantiu Priscilla.

(Foto: Assis Fernandes / O DIA)

As vítimas, de 3 a 15 anos na época, revelaram para a mãe e tia os abusos, que ocorriam entre jogos e brincadeiras — sob ameaça, principalmente dentro do quarto do estudante, que morava com o pai, a madrasta e as duas irmãs na Zona Leste.

(Foto: Reprodução / Instagram)

Apesar de seguirem com o tratamento psicológico, e de as menores se sentirem melhor sem a presença de Marcos Vitor na família, as marcas do abuso, conta Priscilla, estão até hoje no dia a dia da filha. “Ele destroçou vidas de várias crianças, ele tirou a infância da minha filha. A minha filha é antes e depois da denúncia, ela mudou tinha depressão, automutilação e tentativa de suicídio com 12 anos de idade. Então ele tirou a infância dela. Ela está voltando ser criança agora”.

“A gente é impotente em relação a pegar ele porque a Justiça não está sendo cumprida. A gente continua seguindo a nossa vida sem a presença dele que já é um benefício. Elas estão bem agora, com a ausência dele”.

Acusado “confessou” crime em mensagem de WhatsApp

Nas redes sociais, o suspeito não confessou o crime e afirma que tudo será resolvido perante aos órgãos responsáveis. Entretanto, Priscila Karine possui a foto de uma conversa entre Marcos e sua madrasta, irmã de Priscila, onde o mesmo confessa o crime. Na conversa, Marcus afirma que aquele foi um período obscuro de sua vida e pede perdão por toda a situação, dizendo ainda que faria de tudo para que fosse perdoado.

Na conversa, Marcos confessa ter cometido os crimes. (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

“Com a gente ele assumiu, confessou tudo conversando com a minha irmã e pediu perdão. Só que não existe perdão em uma situação dessa, nós queremos justiça”.

Relembre o relato dos crimes, feito pela mãe

“Tudo começou quando a minha filha tinha cinco anos”, é o que afirma Priscila Karine Campos, mãe de uma criança de 12 anos, que em julho deste ano confessou ter sido abusada sexualmente pelo próprio primo, um estudante de medicina chamado Marcos Vitor Aguiar Dantas Pereira, de 22 anos, que hoje reside em Manaus, capital do Amazonas.

Priscila conta que sua filha foi abusada dos cinco até os dez anos de idade. Após essa denúncia, Marcos Vitor foi acusado também de estuprar a irmã, de 9 anos, e de abusar sexualmente de outras quatro crianças. O caso foi encaminhado à Polícia Civil no dia 31 de agosto e a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) já deu início às investigações. 

“Minha filha nos contou toda a situação em julho. Nós investigamos e descobrimos as outras vítimas, que são as primas dela. Ele é da família, é enteado da minha irmã, irmão das outras vítimas e primo também”, explica Priscila Karine.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário