Motoristas e cobradores param nesta quarta-feira (28)

Os trabalhadores reivindicam o pagamento do ticket de alimentação e plano de saúde determinado pelo Tribunal Regional do Trabalho do Piauí (TRT) às empresas de ônibus na Capital

27/10/2020 15:30h - Atualizado em 27/10/2020 15:33h

Compartilhar no

Motoristas e cobradores de ônibus realizam nesta quarta-feira (28) uma nova paralisação das atividades em Teresina. A greve foi confirmada pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários do Piauí (Sintetro), Ajuri Dias. Os trabalhadores reivindicam o pagamento do ticket de alimentação e plano de saúde determinado pelo Tribunal Regional do Trabalho do Piauí (TRT) às empresas de ônibus na Capital. 


LEIA MAIS: Sintetro é multado em R$ 100 mil por não cumprir frota mínima de ônibus 


Foto: Arquivo/ODIA.

“A greve está confirmada para esta quarta-feira. Vamos cumprir com a frota circulando com 70% em horário de pico e 30% nos demais horários. Como os empresários não acataram a decisão do TRT, em pagar os tickets de alimentação e o plano de saúde, a gente decidiu por retornar com a greve”, disse.

Na semana passada, os trabalhadores se reuniram em Assembleia Geral Extraordinária e decidiram pelo retorno da greve. Eles estavam aguardando o período da decisão determinada pelo TRT acabar para confirmar o novo movimento grevista. Na época, o presidente informou que as empresas foram notificadas da decisão.

“Essa decisão partiu de todos os trabalhadores. As empresas receberam um determinação e não cumpriram”, completou.

Outro lado

Em nota, o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut) informou que “foi notificado sobre a possibilidade do movimento grevista, mas não entende as motivações”. O sindicato disse ainda que “caso está em análise pela assessoria jurídica para a tomada de providências cabíveis junto às autoridades trabalhistas como também junto ao poder concedente”.

Procurado pela reportagem, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) disse que vem “acompanhando as negociações entre o Setut e o Sintetro e torce para que patrões e empregados entrem em acordo com relação às questões reivindicadas”.

A Strans garantiu que está garantida a “circulação dos veículos alternativos para atender usuários do transporte público, com 86 ônibus e micro-ônibus cadastrados”.

A nota finaliza com a informação de que o Tribunal Regional do Trabalho da 22ª Região, do Estado do Piauí, “assegura o funcionamento da frota constitucional mínima prevista para o período de pandemia, que é de 70% da frota nos horários de pico e 30% nos horários de entrepico”. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Jorge Machado, do Jornal O Dia

Deixe seu comentário