PMT quer transferir desabrigados da zona Norte para imóveis abandonados no Torquato Neto

Mais de 80% das famílias desabrigadas são oriundas dos bairros Mafrense, Vila Apolônia, Poti Velho e Residencial Lindalma Soares.

07/01/2022 11:41h - Atualizado em 07/01/2022 12:59h

Compartilhar no

O  secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Edmilson Ferreira, declarou, nesta sexta-feira (7), que o prefeito de Teresina, Doutor Pessoa, determinou que os imóveis abandonados, provenientes de programas habitacionais, sejamdestinados para as famílias desabrigadas devido às inundações em Teresina.

Atualmente, Teresina possui 424 famílias desabrigadas. Destas, mais de 80% são oriundas dos bairros Mafrense, Vila Apolônia, Poti Velho e Residencial Lindalma Soares, na zona Norte da Capital. Uma das alternativas, segundo a prefeitura, é transferir os desabrigados para o extremo Sul do município, especialmente para a região do residencial Torquato Neto. O bairro também é conhecido por alagar durante a chuva. Em 2018, uma mulher morreu após ser levada pela enxurrada no residencial.

“Essas famílias desabrigadas estão sendo encaminhadas para o projeto Cidade Solidária e também estão sendo alojadas em abrigos provisórios como ginásios de escolas. Com a continuidade do período chuvoso, o número de famílias desabrigadas tende a aumentar em Teresina. Por isso, estamos buscando diversas alternativas para solucionar o problema de forma definitiva”, enfatizou o secretário Edmilson Ferreira.

Foto: Assis Fernandes/O Dia

De acordo com o gestor, os imóveis do loteamento Parque Brasil, na região da grande Santa Maria da Codipi, que seria uma das alternativas mais próximas às residências da maioria das famílias desabrigadas, estão ocupados.

“Todas as moradias do Parque Brasil já têm dono e mesmo que haja algum abandono, existe uma lista de espera para esses imóveis e ainda um perfil a ser seguido. Então, o prefeito iniciou um diálogo com a Caixa Econômica Federal para avaliar outros imóveis, de outros programas habitacionais, anteriores ao Loteamento do Parque Brasil, para verificar se existe situação de abandono. Caso exista a determinação é que a gente ocupe esses imóveis com as famílias desabrigadas”, destacou.

Foto: Assis Fernandes/O Dia

Outra opção que estaria sendo viabilizada pela Prefeitura de Teresina é o mapeamento de terrenos municipais para a construção de residências. Atualmente as equipes já mapearam três terrenos e agora a Prefeitura busca recursos junto ao governo federal para iniciar a construção dessas moradias.

“As assistentes sociais da Prefeitura de Teresina estão monitorando todas as famílias atendidas neste momento. As casas que queremos construir serão destinadas a essas famílias em situação de desabrigo”, afirmou o secretário.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário