Teresina: profissionais de saúde fazem manifestação e denunciam redução salarial

Sindicato alega que houve redução de 50% no valor dos plantões, 20% da insalubridade para quem está trabalhando no setor Covid-19, além de cortes na remuneração dos profissionais de outros setores

02/03/2021 10:29h - Atualizado em 02/03/2021 12:01h

Compartilhar no

Profissionais de saúde de Teresina realizaram uma manifestação em frente à Prefeitura de Teresina na manhã desta terça-feira (02). De acordo com o Sindicato dos Enfermeiros, Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do Estado do Piauí (Senatepi), houve redução de 50% no valor dos plantões, 20% da insalubridade para quem está trabalhando no setor Covid-19, além de cortes na remuneração dos profissionais de outros setores.


Fotos: Pedro Cardoso/ODIA


"A decisão da Fundação não respeita os trabalhadores da saúde e não leva em consideração a população que já está sofrendo com quase 100% dos leitos de UTI ocupados", disse o presidente do Senatepi, Erick Riccely.


Presidente do Senatepi, Erick Riccely. Foto: Pedro Cardoso


A presidente do Sindicato dos Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais do Piauí (Sinfito), Auriane Coutinho, disse que alguns profissionais nem contracheque estão recebendo.

“Estamos reivindicando a redução da insalubridade dos profissionais que caiu de 40% para 20%, já recebemos informações de coordenadores que, inclusive, vão mudar a base para que seja incidida em cima do salário e não em cima do vencimento da base. Além disso, vieram contracheques com redução do valor do plantão de R$ 360 para R$ 250 e há profissionais que nem receberam isso ou nem mesmo tem o documento”, disse.


Presidente do Sindicato dos Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais do Piauí (Sinfito), Auriane Coutinho. Foto: Pedro Cardoso

Os manifestantes se concentraram em frente à sede do executivo municipal por volta das 8h. Eles levaram faixas e cartazes e gritaram palavras de ordem. Houve aglomeração em descumprimento às medidas sanitárias de prevenção à Covid-19.

Outro lado

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) informou que não houve redução salarial dos profissionais e o que aconteceu foi “o fim do acréscimo temporário de 20%  no valor da insalubridade que foi autorizado em  pelo Governo Federal, através do Ministério da Saúde, com aporte de recursos específico para essa finalidade.”

Foto: Pedro Cardoso

O prefeito de Teresina, Dr. Pessoa (MDB), foi ao encontro dos profissionais nesta terça-feira. Segundo ele, o município vem seguindo o que determina a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) e reforçou que as gratificações foram cortadas no ano passado pelo Governo Federal.  

“Teresina vem cumprindo o que determina as leis trabalhistas. Os enfermeiros estão reivindicando gratificações que foram feitas pelo Governo Federal para os atuavam na linha de frente ainda no ano passado. Essas gratificações ainda estão sendo analisadas para poderem voltar neste ano. Mas em relação a prefeitura, estão seguindo com a CLT”, finalizou.

Uma reunião entre a prefeitura, sindicatos e o Ministério Público para tratar do assunto deve acontecer ainda nesta terça-feira.  



É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário