Um dia na Praça: Justiça esclarecerá serviços de casamento, divórcio e pensão alimentícia.

O atendimento acontece das 09h às 14h no Parque Nova Potycabana

04/03/2022 12:01h - Atualizado em 04/03/2022 12:08h

Compartilhar no

O projeto Um dia na Praça oferecerá uma série de serviços de  orientação jurídica para a população de Teresina através do programa Justiça Itinerante do Tribunal de Justiça do Piauí. A iniciativa, promovida pela Fundação Octávio Miranda, acontece entre os dias 05 e 06 de março, no Parque Nova Potycabana, na Zona Leste de Teresina. O atendimento acontece das 09h às 14h e auxiliará pessoas que querem se casar ou buscam ações consensuais como divórcio, acordo de pensão alimentícia e reconhecimento voluntário de paternidade.

Além dos serviços de assessoria jurídica o projeto levará serviços como saúde, beleza e orientação para microempreendedores ao longo do sábado e domingo no parque.

Adriane Araújo, Juíza Leiga da justiça itinerante, esclareceu quais ações serão desenvolvidas e como a população pode acessar os serviços. “O Tribunal de Justiça do Piauí, por meio da justiça itinerante, vai oferecer serviços de orientação jurídica, também agendamento de atendimento na justiça itinerante e informações sobre o casamento comunitário, ações de registros públicos e ações consensuais como divórcio consensual, acordo de alimento, reconhecimento voluntário de paternidade. Durante a ação estaremos fazendo o agendamento para o atendimento, quem deseja tirar alguma dúvida pegar alguma cópia de documento estaremos lá fazendo esse processo”, disse a magistrada.

A juíza destacou também que problemas simples poderão ser resolvidos durante a atividade. “Os casais que desejam se divorciar consensualmente, os pais que desejam reconhecer seus filhos voluntariamente ou fazer por meio de um acordo de alimento, essas são as ações consensuais que nós recebemos. As ações de registro público são ações de alterações de registro de nascimento, casamento, óbito. As ações que envolvem suprimento de óbito, são alguns dos tipos de ações que recebemos por meio da justiça itinerante”, concluiu Adriane Araújo. 

FOTO: Ascom Tjpi

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário