Yuri lança disco com composição de Engenheiros do Hawaii

Aos 39 anos de idade, o músico piauiense Yuri lança seu segundo trabalho autoral em carreira solo.

22/06/2022 16:28h

Compartilhar no

Aos 39 anos de idade, o músico piauiense Yuri lança seu segundo trabalho autoral em carreira solo. Um cd com 7 faixas, entre composições próprias e duas regravações. A identidade do artista está expressiva e bem mais evidente nas músicas. O disco começa com um clássico do rock brasileiro, “Somos Quem Podemos Ser” intitula o fonograma e tem a responsabilidade de ser a música de trabalho. Uma composição de Humberto Gessinger gravada originalmente em 1988 pela banda Engenheiros Do Hawaii, ganha uma versão balada PopRock, com força total para tocar em rádios. 


Leia também: Após despedida no Albertão, Whindersson relembra início: “38 pessoas no primeiro show” 

A segunda faixa vem com “Vida”, uma canção reflexiva que fala do amor, do estímulo bom de viver. A próxima é “Arroz & Feijão” uma declaração a Priscylla, esposa de Yuri, a letra fala da simplicidade e cumplicidade do amor entre os dois. Quarta música é “Última Chance”, um Pop requintado com divisão de voz, piano e arranjos de Gustavo Baião e guitarras de Láryos Lima, além da super participação do gaitista Milton Guedes. “Leuda” é a quinta canção e mais uma declaração onde Yuri expressa o amor por sua mãe. Uma letra e harmonia forte. 

“A Flor do Amor”, quinta faixa, debocha das voltas e que o mundo proporciona e faz a gente amadurecer com erros e o cotidiano. Tem a participação do Baixista Ivo Solano e uma citação de “Barracos da Cidade” homenageando Gilberto Gil. A última canção também é uma regravação de um clássico da música Piauiense, “Amor Lindo” é letra do poeta Durvalino Couto e música de Edvaldo Nascimento, dois artistas ícones do cenário no Piauí.

O disco Somos Quem Podemos Ser é um trabalho consciente, caprichado e produzido por Yuri e Thales Brandt(técnico de gravação), com guitarras e violões de Láryos Lima, Baixo de Robertha Brandão, Iago Dayvson Bateria e Edilson de Sousa Teclados, além da participação de Dudu Percussão e Thales Nas percussões.

O disco é uma das obras contempladas pela Lei de Incentivo Cultural “SIEC” e “Aldir Blanc”.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário