Corpo de Bombeiros orienta sobre os cuidados ao tomar banho de rio

É importante conhecer o local onde se vai banhar e evitar se afastar de margens e das bordas das coroas.

29/08/2022 11:20h - Atualizado em 29/08/2022 11:48h

Compartilhar no

A tragédia que aconteceu no município de Nazária neste domingo (28) trouxe de volta a discussão sobre a necessidade de se ter certos cuidados nos momentos de lazer em ambientes aquáticos. Observar a velocidade da correnteza e a profundidade do local escolhido para o banho são atitudes necessárias. O alerta parte do Corpo de Bombeiros.


Leia também: 

Nazária: mães pularam no rio para tentarem salvar filhos e foram resgatadas por pescador 

Nazária: “Não acredito que perdi minhas duas netinhas”, diz avô de crianças desaparecidas 


De acordo com o coronel José Veloso, a principal recomendação é sempre ter cautela independentemente do local. Os cuidados devem ser os mesmos para piscinas, rios e mar. Ele explica: “Conheça o local onde se vai adentrar, conheça o meio líquido onde você vai se colocar e conheça sua capacidade física para certas situações”, elencou o coronel.


O coronel José Veloso orientou para os cuidados ao tomar banho de rio, piscina e mar - Foto: Assis Fernandes/O Dia

Ele pede que as pessoas fiquem atentas se quem vai banhar são crianças, adolescentes e/ou adultos, se eles consumiram bebida alcoólica e se ingeriram alimentos pesados antes de entrarem na água. O álcool e refeições pesadas antes do banho tornam os reflexos mais lentos. “Crianças em geral são mais afoitas; e os adultos que ingeriram bebida  ou comeram comidas mais calóricas antes de entrar no banho têm mais letargia nos movimentos ficam com sua capacidade física alterada”, diz o coronel Veloso.

Além do perfil de quem vai tomar banho na piscina, mar ou rio, é importante também conhecer o local onde se vai entrar. Ele explica: “Tem muita correnteza? Essa correnteza é muito forte? Qual a profundidade? Eu consigo colocar meu pé no fundo e me firmar? Tudo isso precisa ser levado em conta na hora de entrar seja em que ambiente aquático for. A gente precisa ter conhecimento do perfil das pessoas que vão adentrar e também do ambiente”, finaliza o coronel.


Foto: Assis Fernandes/O Dia

Especificamente sobre o caso do Rio Parnaíba, ele lembra que se trata de um local bastante largo, de correnteza muito forte cujo fundo pode esconder buracos e redemoinhos. O recomendado ao se tomar banho nas coroas é evitar se distanciar demais das bordas e não desafiar o rio a nado.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário