Irmãs acusadas de matar homem na frente das filhas têm prisão domiciliar concedida

Ao todo, seis pessoas da mesma família foram indiciadas e vão a julgamento por homicídio qualificado. Crime teria sido praticado por vingança, segundo a polícia

14/10/2022 16:31h

Compartilhar no

As irmãs Precilla Ferreira Pereira Fernandes e Patrícia Ferreira Pereira Fernandes tiveram prisão domiciliar concedida pela Justiça do Piauí. Elas são acusadas de envolvimento no assassinato de João Rodrigues Dias Neto, ocorrido no município de São Raimundo Nonato, no dia 13 de setembro . A informação é do delegado e gerente de policiamento do interior, Marcelo Leal.

João Neto, esposo da secretária municipal do trabalho e assistência social de São Raimundo Nonato, Valdenia Costa, foi morto na frente das duas filhas em via pública e à luz do dia. No início desta semana, seis pessoas da mesma família foram indiciadas e vão a julgamento por homicídio qualificado  após a justiça receber a denúncia oferecida pelo Ministério Público Estadual.

Foto: Arquivo/ODIA 

Conforme apontou a investigação da Polícia Civil, João Rodrigues Dias Neto foi assassinado por vingança após ter se envolvido em um acidente com vítima fatal em julho deste ano.

Segundo as investigações, os envolvidos em seu homicídio eram familiares da vítima e teriam contratado o autor do crime, identificado como Juniel Assis Paes Landim, como pistoleiro para executar João de modo que as filhas a vítima “sentissem a mesma dor”. Executar João Neto na frente das meninas e em plena luz do dia teria sido uma exigência feita pelos mandantes do crime.

Após a Justiça receber a denúncia, verificou que a peça preenche todos os requisitos legais e traz “de modo claro e congruente a conduta típica imputada ao acusado, com todas as suas circunstâncias, a classificação do crime, permitindo-lhe o exercício da ampla defesa e do contraditório”.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no