Piauí teve aumento de 197% no número de queimadas de junho a julho

No acumulado do ano, o Estado já soma 694 ocorrências de fogo. Em relação ao ano passado, a redução é de 26%. Região Sul do Piauí preocupa pela vasta área de mata.

08/07/2022 10:17h

Compartilhar no

Com o tempo seco e o período quente se aproximando, o Piauí volta a ficar em alerta para os focos de queimada em área de vegetação e também para a ocorrência de incêndios em regiões urbanas. E esse aumento já vem se refletindo em números. Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) apontam que os focos de incêndio em vegetação no Piauí subiram 197% de junho a julho. 


Leia também: Queimada interdita avenida e assusta motoristas na zona Norte de Teresina 


A comparação considera somente a primeira semana deste mês em relação a todo o contabilizado no mês passado. Significa dizer que só em seus primeiros sete dias, a quantidade de queimadas registradas em solo piauiense já representa bem mais que o dobro do que foi registrado durante todos os 30 dias de junho.

No mês passado, o Piauí registrou 35 focos de incêndio em vegetação. Nesta primeira semana de julho, já são 104 focos. O número chama ainda mais atenção, porque de maio a junho, a quantidade de focos de fogo havia dado uma reduzida de 36%: o Piauí registrou 55 focos em maio e somente 35 em junho.


Foto: Jailson Soares/O Dia

Apesar desse aumento entre junho e julho, o Piauí vem registrando ao longo do ano quantidade de focos de queimada inferior ao que se registrou de janeiro a julho de 2021. No ano passado, o Estado já contabilizava 938 focos no começo do segundo semestre. Este ano, são 694. A redução é de 26%.


Leia também: Queimadas no Piauí: número de focos aumentou 155% de abril para maio 


Mesmo com essa redução, o Piauí vem assumindo posição de destaque no ranking nacional de focos de queimada: o Inpe aponta que o Estado é o 9º do país na quantidade de ocorrências de fogo com seus 694 focos identificados. A situação mais crítica do país está no Mato Grosso, que contabiliza até o momento 7.292 focos.


Foto: Jailson Soares/O Dia

A principal preocupação, segundo o Inpe, são as cidades da região do Cerrado e do Sul do Piauí, onde a área de mata é mais extensa que na região Norte, inclusive com regiões destinadas ao plantio. Nesta quinta-feira (07), o principal foco se encontrava na cidade de Antônio Almeida, onde o fogo atingiu parte da vegetação de um assentamento do Incra. O Corpo de Bombeiros foi destacado para a região para combater as chamas.

Os Bombeiros fazem um apelo à população para que evite fazer queima deliberada para limpar terrenos, por exemplo. Isso porque o fogo pode rapidamente sair de controle com o vento e causar danos físicos e prejuízos a quem estiver por perto.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário