Acusado de assassinar sargento da PM é morto em confronto com a polícia em Teresina

Identificado como Diego Azevedo, ele teria reagido à abordagem de uma guarnição no Povoado Soturno e acabou sendo baleado.

26/04/2022 08:05h - Atualizado em 26/04/2022 13:05h

Compartilhar no

acusado de assassinar a tiros o sargento da Polícia Militar, Cleto de Paula Cortez, foi morto a tiros na noite desta segunda-feira (25) durante um confronto com a PM no bairro Piçarreira, zona Leste de Teresina. Identificado como Diego Azevedo, o homem teria reagido à abordagem dos militares e foi baleado. 


O sargento Cleto foi assassinado no último dia 21 em Teresina - Foto: Divulgação/PMPI

Em entrevista à imprensa, o comandante geral da PM, Scheiwann Lopes, destacou que, desde o dia do crime, as equipes estavam empenhadas em localizar e capturar o suspeito. Segundo o comandante, "um ataque a um policial militar é um ataque ao próprio Estado" e enfatizou que o objetivo da polícia é garantir a ordem e levar segurança à população piauiense.

Diego Azevedo chegou a ser localizado, durante diligências realizadas pelos policiais, mas conseguiu escapar. da prisão. A mãe do suspeito chegou a procurar a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHOO) para negociar a rendição do filho. "Nós garantimos a integridade dele, mas não chegou a se confirmar. Ontem à noite, recebemos informações que ele estava no loteamento Cidade Verde, zona Leste. Foi feito um cerco e dado voz de prisão. Ele tentou fugir, reagiu à prisão, e foi baleado", disse, acrescentando que o suspeito chegou a ser socorrido e encaminhado ao Hospital de Urgência de Teresina (HUT), mas não resistiu aos ferimentos e veio à óbito. 

Scheiwann Lopes acrescentou que o suspeito era de alta periculosidade e matou o sargento Cleto de Paula a sangue frio, além de subtrair sua arma, que foi vendida. A polícia já identificou o comprador. Com Diego foi encontrada uma arma, que será periciada. O revólver possivelmente teria sido utilizado para matar o PM. A motocicleta que o suspeito tinha utilizado no dia do crime já tinha sido recuperada pela polícia.

O caso foi encaminhado ao DHPP, que irá investigar o que teria motivado o crime, bem como identificar o que sargento Cleto fazia no momento que foi alvejado. 

"Nós representamos a força do Estado e estamos aqui para garantir a lei, proteger a sociedade e nossos policiais. Nesse sentido, a orientação é seguir os direitos humanos, não compactuamos com violência, com força desproporcional e abuso de autoridade, mas, neste caso, nós estamos seguindo a lei e fomos surpreendidos com uma reação e demos uma resposta a altura. Essa é nossa orientação", disse o comandante geral da PM-PI

Entenda o caso

Diego era acusado de ter matado o sargento da PM, Cleto de Paula Cortez, em crime praticado na tarde da quinta-feira (21) na Rua Amélia Beviláqua do bairro São Cristóvão, zona Leste da capital. O PM foi atingido com um tiro na cabeça e outro no peito. Ele foi socorrido ainda com vida, mas em estado grave para o HUT.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário