Caso Iarla: ex-tenente do Exército é condenado a 37 anos de prisão

A sentença foi proferida pelo juiz Antônio Reis de Jesus Noleto ao final do julgamento que durou mais de 19 horas.

25/11/2021 08:23h

Compartilhar no

O Tribunal Popular do Júri condenou, na madrugada desta quinta-feira (25), o ex-tenente do Exército Brasileiro, José Ricardo da Silva Neto, a 37 anos e 4 meses de prisão pelo assassinato da namorada, a estudante de arquitetura Iarla Lima Barbosa. A sentença foi proferida pelo juiz Antônio Reis de Jesus Noleto ao final do julgamento que durou mais de 19 horas. 


Leia mais:

O júri popular considerou o ex-tenente culpado pelos crimes de homicídio consumado triplamente qualificado, por motivo fútil e feminicídio contra Iarla Lima e por duplo homicídio tentado qualificado contra Ilana Lima Barbosa, irmã da vítima, e Joseane Mesquita da Silva, amiga de Iarla.

Foto: Reprodução

A sessão do Tribunal do Júri aconteceu de forma restrita por conta da pandemia, apenas testemunhas e profissionais envolvidos diretamente no processo puderam participar presencialmente do julgamento. Já o acusado Silva Neto foi ouvido pelos jurados por videoconferência.

 Entenda o caso

A estudante Iarla Lima Barbosa foi morta a tiros pelo então namorado, o ex-tenente do Exército Brasileiro, José Ricardo da Silva Neto, após deixarem uma festa em um bar na avenida Nossa Senhora de Fátima, na zona Leste de Teresina. O crime aconteceu na madrugada do dia 19 de junho de 2017.

Além de Iarla, o ex-tenente também teria efetuado disparos de arma de fogo contra a irmã de Iarla, Ilana Lima Barbosa, e uma amiga, Joseane Mesquita da Silva. O crime aconteceu dentro do carro do acusado.

Na audiência de instrução e julgamento do caso, ocorrida no dia 22 de novembro de 2017, o acusado confessou ter atirado contra a namorada, mas não confirmou que o crime teria sido motivado por ciúmes. Após o crime, o ex-tenente empreendeu fuga até o seu apartamento, com o corpo da jovem ainda dentro do veículo. 

Ao prestar depoimento como testemunha de acusação sobre a morte de sua irmã, Ilana Lima Barbosa disse que Iarla tinha a intenção de terminar o namoro com José Ricardo Silva Neto no dia em que foi assassinada pelo namorado. 

Segundo a jovem de 23 anos, José Ricardo costumava ter um comportamento ciumento com Iarla e já havia tentado mais de uma vez descobrir a senha do celular dela. 

José Ricardo da Silva Neto foi solto pela Justiça em 2018 e aguarda o julgamento em liberdade provisória seguindo medidas cautelares impostas pela Justiça. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário