Delegado diz que gerente de banco pode ter sido vítima de homicídio

Testemunhas já foram ouvidas e negaram que houve algum tipo de agressão contra o gerente

19/09/2022 15:34h

Compartilhar no

A possibilidade de um crime de homicídio no caso do gerente do Banco do Brasil, Jardel Igor Gomes de Lima, não está descartada, segundo o delegado do Departamento de Homicídio e Proteção á Vitima (DHPP), Danúbio Dias, que assumiu as investigações do caso. O gerente foi encontrado morto em uma boate na madrugada do último sábado (17/09), em Teresina

O delegado disse à imprensa que as investigações iniciais apontam que Jardel conversava com uma mulher na boate no momento que repentinamente apresentou agressividade, foi contido e colocado para fora do estabelecimento por um segurança. Logo depois ele foi encontrado morto nas proximidades.

Danúbio Dias disse que testemunhas já foram ouvidas e negaram que houve algum tipo de agressão contra o gerente. Porém, o laudo da morte indicou que a vítima sofreu forte pancada na região da cabeça. O cadáver apresentou também um corte no supercílio.

(Foto: Reprodução/redes sociais)

“Nessa fase da investigação, todas as hipóteses possíveis são levantadas. No caso, estamos trabalhando os vestígios colhidos no momento inicial. Há possibilidade que tenha ocorrido homicídio. Por outro lado, a polícia só pode afirmar de forma categórica quando houver um posicionamento do legista”, disse Danúbio. 

O caso

Jardel Igor Gomes de Lima, de 29 anos, foi encontrado morto na madrugada deste sábado (17) próximo a uma boate na zona Sul de Teresina. O rapaz, que é gerente de uma agência do Banco do Brasil, localizada no bairro Piçarra, estava com diversas lesões e sinais de violência e foi encontrado em via pública. Testemunhas disseram que ele estava sob efeito de drogas. O corpo foi encontrado em via pública. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário