Líder do PCC é preso suspeito de participação em cinco homicídios

Entre os crimes investigados pelo DHPP está um duplo homicídio ocorrido no bairro São Joaquim, zona Norte de Teresina.

07/07/2022 16:07h - Atualizado em 07/07/2022 16:20h

Compartilhar no

Foi preso na manhã desta quinta-feira (07), um homem identificado como Fagner Vale de Carvalho, apontado como um dos líderes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). A prisão foi realizada por policiais do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na Vila Apolônia, no bairro São Joaquim, zona Norte de Teresina.


Leia também: Dois homens são assassinados a tiros dentro de casa no bairro São Joaquim 


Segundo informações do delegado Genival Vilela, do DHPP, Fagner é suspeito de envolvimento em, pelo menos, cinco homicídios, entre eles um feminicídio. Entre os crimes atribuídos a ele está um duplo homicídio ocorrido no dia 05 de julho do ano passado. As vítimas, Ismael Bonfim e Tiago Santos, foram mortas com disparos de arma de fogo em um bar localizado no bairro São Joaquim.

Foto: Divulgação/DHPP

“No dia que eles foram mortos, logo em seguida, fizeram vídeos nesse local e, em um dos vídeos, o indivíduo fala que '40 passa mal', insinuando que os criminosos são de uma facção e os mortos são de outra facção rival. Outra vítima foi o Chico Desgraça, morto no dia 18 de agosto do ano passado. Segundo a investigação, a motivação do crime teria sido porque ele furtou uma arma do Fagner”, revela o delegado.

A quarta vítima foi um homem identificado como Victor Manuel, executado a tiros no dia 23 de outubro do ano passado. A investigação policial aponta que os criminosos teriam usado uma pia de lavar roupa para arrombar a porta da casa da vítima, que foi morta dentro da residência também com disparos de arma de fogo. “Essa vítima teria dito para um desafeto que o Fagner queria matar essa pessoa. O Fagner ficou sabendo disso, e decidiu matar ele”, afirma o delegado Genival Vilela.

Foto: Jailson Soares/O Dia

Fagner era considerado foragido da polícia há dois anos. O delegado Genival Vilela revelou ao O DIA que, ao perceber a chegada dos policiais, o suspeito usava as lagoas localizadas próximas à sua residência para fugir. Desta vez, para impedir a fuga, a operação policial para capturar Fagner contou com a participação de 10 policiais.

“Ele é um psicopata. Se tiver a oportunidade de atirar, se ele estiver armado, ele vai atirar. As equipes tiveram que ir bem preparadas porque havia essa possibilidade de ter um confronto", destaca. Contra Fagner foram cumpridos três mandados de prisão, sendo dois por homicídio e um por tráfico de drogas.

Após a prisão, Fagner foi interrogado e encaminhado ao IML para realização do exame de corpo delito. Em seguida, foi conduzido para a Central de Flagrantes para realização dos procedimentos legais cabíveis. O preso deverá passar por audiência de custódia nesta sexta-feira (08). Caso a prisão seja mantida, será conduzido ao sistema prisional.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário