Professores de Teresina suspendem greve após TCE reconhecer obrigatoriedade do piso

A paralisação durava 213 dias, desde o dia 07 de fevereiro os educadores seguem fora de aula

08/09/2022 13:06h - Atualizado em 08/09/2022 13:17h

Compartilhar no

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Teresina (Sindserm) anunciou no início da tarde desta quinta (08) a suspensão da greve dos professores da rede municipal de ensino. A paralisação durava 213 dias, desde o dia 07 de fevereiro os educadores seguem fora de aula. A decisão foi tomada após um julgamento do TCE, na manhã de hoje, que reconheceu a obrigatoriedade dos municípios piauienses pagarem o piso nacional da educação para os professores.

Os educadores cobram da Prefeitura o pagamento linear do reajuste do piso salarial de 33,23%, a Prefeitura, porém, concedeu apenas 16% de majoração. Nesta quinta o pleno do TCE julgou uma ação da Prefeitura de Pavussu, que questionava a obrigatoriedade do pagamento. Por 5 votos a 1 a corte reconheceu o dever dos municípios em honrar ao valor estabelecido por lei.


Leia Mais: 
“Vai trabalhar vagabundo”, Pessoa troca ofensas com professores e sai escoltado de desfile 


FOTO: Assis Fernandes/ O DIA

O coordenador geral do Sindserm, Sinésio Soares, confirmou a suspensão da greve. “Hoje tivemos uma vitória importante em uma contestação sobre a legalidade a respeito da obrigatoriedade da concessão do reajuste. A vitória no TCE foi de 5 votos a 1, essa decisão se agrega a ação inicial de improbidade administrativa contra o secretário Nouga e o Prefeito Dr. Pessoa. Percebemos que a Prefeitura está com uma irresponsabilidade muito grande com relação ao ano letivo. Vamos suspender a greve e retornaremos a fazer uma nova assembleia dia 30 de setembro para apresentar uma proposta com a reposição de conteúdos que seja factível e não a que a Prefeitura tentou fazer com as pessoas que estiveram de greve”, disse o dirigente.

Sinésio comentou também o julgamento do TCE, favorável ao pleito dos educadores. “É um resultado importante na ação de improbidade administrativa. A Prefeitura alegou que poderia pagar um complemento e isso ser considerado o pagamento do piso. Foi uma ação do município de Pavussu que serviu para uma consulta idêntica ao município de Nazária. Vamos entrar com Litisconsórcio na ação do Ministério Público que denúncia a improbidade administrativa do Prefeito. Neste sentido suspendemos a greve para não perder o ano letivo”, relatou o dirigente.  

Foto: Assis Fernandes / O Dia

Robert ataca professores

Um dia após o Prefeito de Teresina, Dr. Pessoa, trocar ofensas com professores da rede municipal e chamar os educadores de “vagabundos”, quem fez duras críticas aos professores grevistas da capital nesta quinta (08) foi o vice-prefeito Robert Rios. Durante agenda pela manhã o gestor repudiou os constantes atos promovidos pelo Sindicato dos Servidores Municipais em vários eventos de Dr. Pessoa por toda Teresina.

Para Robert os educadores não representariam a maioria da categoria.  “Até hoje não vi nenhuma manifestação de professores que tivessem mais do que meia dúzia de professores. Junta meia dúzia e todos encastrados no sindicato, gigolô de sindicato, que estão a duzentos anos no sindicato, nunca deram uma aula, você não pode nem nomear como professores”, criticou.

O vice-prefeito ainda repudiou o ato de ontem. “Agora os professores de Teresina merecem o nosso respeito, nosso carinho e nossa consideração. Mas aquela meia dúzia de professores que junta a vizinhança para ficar acompanhando o Prefeito, é uma coisa que tem o nosso repúdio”, concluiu. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário