Abandonada, quadra poliesportiva no Jacinta Andrade vira espaço de vândalos

Moradores dizem que o local não chegou nem a ser inaugurado e que está sem uso há mais de cinco anos.

15/08/2022 11:55h - Atualizado em 15/08/2022 12:08h

Compartilhar no

Falta de espaços de lazer e de convício social. É essa uma das principais reclamações que os moradores do Residencial Jacinta Andrade, na zona Norte de Teresina, fazem. E até os locais que já estão construídos e prontos para serem usados pela população acabam ficando abandonados. É o caso do Ginásio Poliesportivo do residencial, que fica localizado na Rua Engenheiro Agrônomo Chicão, no cruzamento com a Rua Motorista Raimundo Soares.


Leia também: Lucidão: abandonado, campo de futebol no Dirceu II vira local de depósito de lixo 


De acordo com os moradores do entorno, o ginásio já estava lá antes mesmo do local ser povoado, mas desde então, nunca foi oficialmente entregue à população. Sem poder utilizar o espaço, o ginásio acabou sendo tomado por usuários de droga e virando local de esconderijo de criminosos. Insegurança define a situação de quem mora no entorno, principalmente quando a noite cai.

Na parte de trás da quadra, já foi encontrado inclusive um desmanche de moto. É o que diz o morador Marlon Santos, que vive no Jacinta Andrade há 10 anos. “Outro dia acharam uma moto toda depenada lá atrás. E lá dentro mesmo não tem mais nada que possa ser usado pela população. Entregaram tudo bonitinho com vasos sanitários, banheiros limpos, grades, paredes pintadas, mas hoje não tem mais nada disso. Está tudo sujo e abandonado”, diz.

Fotos: Assis Fernandes/O Dia


A situação causa revolta também na moradora Cristiane Kelly Melo. Assim como Marlon, ela vive no Jacinta Andrade há uma década e diz que demanda para a quadra poliesportiva existe. O que falta é o espaço adequado para uso pela população. “Tem um monte de menino ali na rua jogando bola no final da tarde, mas não tem local. Eles às vezes até limpam e arrumam, mas no dia seguinte está tudo sujo e inutilizado de novo. Até fezes já encontraram lá dentro da quadra. Não tem mais nada que diga que aquilo ali um dia foi um ginásio. É só as paredes em pé”, reclama a moradora.

O fato do ginásio ser usado como reduto de vândalos e usuários de droga tira o sossego inclusive de quem vive no entorno. A partir das 17 horas, os moradores evitam ficar nas calçadas de casa por medo de que alguém mal-intencionado apareça e acaba roubando ou atacando alguém. Quem vive na Rua Motorista Raimundo Soares afirma que a quadra é usada também como esconderijo para criminosos.


Foto: Assis Fernandes/O Dia

“O mato é alto e esconde bem a entrada e quem está lá dentro. De noite então, que fica tudo escuro, é fácil gente ruim chegar e se esconder aí. A gente fica com medo de sair na rua. Tem noite que a gente só vê o movimento de moto entrando aí uma atrás da outra. Entram e não saem mais. A gente não sabe dizer se é veículo roubado, se é gente roubando. Então por precaução, ninguém fica na rua depois que escurece não”, finaliza o morador Antônio Moraes.

Quem vive no entorno da quadra poliesportiva do Jacinta Andrade diz que no projeto inicial, o ginásio seria cercado por uma praça com academia popular. Mas que quando procuram a Prefeitura, a promessa sempre é de revitalizar o espaço e inaugurar no ano seguinte. A situação, eles reclamam, já se arrasta há uma década.

A reportagem do Portalodia.com entrou em contato com a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Semel), mas o órgão informou que a administração do local não é de responsabilidade da Prefeitura. A reportagem entrou em contato com o Governo do Estado, mas até a publicação desta matéria, não houve retorno.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário