"Ele não": Quadrilha junina é eliminada de festival após manifestação contra Bolsonaro

Durante a apresentação, os quadrilheiros entoaram gritos de “Ele Não” e “Fora Bolsonaro”.

14/07/2022 14:58h - Atualizado em 14/07/2022 16:25h

Compartilhar no

A quadrilha juninaExplode Coração”, da cidade de Duque Bacelar, no Maranhão, foi eliminada de um festival de quadrilhas em Teresina após se manifestar contra o presidente da República Jair Bolsonaro. Durante a apresentação, ocorrida nesta quarta-feira (13), os quadrilheiros entoaram gritos de “Ele Não” e “Fora Bolsonaro”. Por conta disso, os jurados decidiram eliminar o grupo da competição, já que há um regulamento que proíbe a manifestação política durante as apresentações.


Leia também: Flávio Bolsonaro adia visita a Teresina 


Pelas redes sociais, a “Explode Coração” emitiu uma nota de repúdio à decisão do festival. Na nota, assinada com apoio da Federação de Quadrilhas Juninas do Estado do Maranhão (FEQUAJUMA), os quadrilheiros citam o artigo 5º da Constituição Federal do Brasil, que determina que "é livre a expressão da atividade intelectual, artística e de comunicação, independente de censura ou licença".

Foto: Reprodução/Instagram

Com o tema "Nosso Santo, Nossas Causas", o espetáculo desse ano da Explode Coração discute e denuncia a LGBTfobia a partir de um enredo de fé e devoção a Santo Antônio, o Santo das Causas impossíveis. A quadrilha defende que é uma obrigação do grupo se posicionar e cobrar políticas públicas voltadas para essa população.

“A cultura, historicamente, é instrumento de denúncia dos problemas estruturais que maculam nossa realidade, bem como de resistência e transformação social. Com o São João não é diferente. As quadrilhas sempre se utilizaram dos tablados e de seus enredos para exercer seu direito constitucional de livre manifestação. Por isso, repudiamos o evento Cidade Junina que, diante de um regulamento inconstitucional, desclassificou a Junina Explode Coração por ter entoado "Ele Não" e "Fora Bolsonaro”, diz a nota.

Um vídeo gravado em outro festival mostra o momento em que os quadrilheiros se manifestam contra o presidente durante a apresentação: 

A reportagem do O DIA entrou em contato com a organização do evento, que informou que o regulamento da competição determina que “não será permitida, em hipótese alguma, a utilização pela quadrilha de propagandas políticas (partidos, candidatos, etc.), propagandas comerciais e/ou afins, qualquer que seja o seu tipo ou forma, escrita ou falada”. Segundo a organização, a penalidade em caso de descumprimento é a desclassificação.

“A responsabilidade de analisar as regras do concurso é de seus participantes e cabe à organização aplicar as sanções previstas. Por fim, ratificamos que a Cidade Junina respeita a livre manifestação de pensamento e opinião e tem sido, em seus 28 anos de existência, palco de diferentes manifestações culturais e artísticas, abrindo espaço para que a cultura local seja valorizada. No entanto, as regras do concurso precisam ser respeitadas, a fim de garantir um tratamento isonômico entre todos os participantes”, finaliza a nota.

Confira as notas na íntegra:

Nota de Repúdio

A Constituição Federal do Brasil, nossa Lei Maior, em seu art.5°, inciso IX, garante que "é livre a expressão da atividade intelectual, artística e de comunicação, independente de censura ou licença". No entanto, o evento Cidade Junina (Teresina - PI), a partir de seu regulamento que flagrantemente desrespeita o direito fundamental à livre expressão e manifestação, desclassificou a Junina Exolode Coração em razão de manifestação política.

Nossa Junina, em seu espetáculo deste ano, a partir da temática "Nosso Santo, Nossas Causas", discute e denuncia a LGBTfobia que tira a vida de tantos e tantas em nosso país, a partir de um enredo de fé e devoção a Santo Antônio, o Santo das Causas impossíveis.

Diante da omissão do atual governo federal para o enfrentamento das violências e demais problemáticas sociais que a LGBTFOBIA impõe ao Brasil; e da obrigação de cobrarmos políticas públicas é que entendemos nosso dever de nos posicionar.

A cultura, historicamente, é instrumento de denúncia dos problemas estrurais que maculam nossa realidade, bem como de resistência e transformação social. Com o São João nao é diferente. As quadrilhas sempre se utilizaram dos tablados e de seus enredos para exercer seu direito constitucional de livre manifestação.

Por isso, repudiamos o evento Cidade Junina que, diante de um regulamento inconstitucional, desclassificou a Junina Explode Coração por ter entoado "Ele Não" e "Fora Bolsonaro".

Assinam:

- Junina Explode Coração (DUQUE BACELAR - MA)
- Federação de Quadrilhas Juninas do Estado do Maranhão (FEQUAJUMA)


Nota de Esclarecimento

Sobre a desclassificação do grupo junino Explode Coração na noite desta quarta-feira (13), a organização do 28º de Festival de Quadrilhas Juninas vem a público esclarecer que consta no regulamento da competição, Art. 20, que “não será permitida, em hipótese alguma, a utilização pela quadrilha de propagandas políticas (partidos, candidatos, etc.), propagandas comerciais e/ou afins, qualquer que seja o seu tipo ou forma, escrita ou falada”.

A penalidade em caso de descumprimento, como versa o citado artigo, é a desclassificação. 

O regulamento está disponível no site do evento e é entregue a todos os grupos classificados. A responsabilidade de analisar as regras do concurso é de seus participantes e cabe à organização aplicar as sanções previstas.

Por fim, ratificamos que a Cidade Junina respeita a livre manifestação de pensamento e opinião e tem sido, em seus 28 anos de existência, palco de diferentes manifestações culturais e artísticas, abrindo espaço para que a cultura local seja valorizada. No entanto, as regras do concurso precisam ser respeitadas, a fim de garantir um tratamento isonômico entre todos os participantes.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário