Famílias desabrigadas pelas chuvas reclamam da falta de estrutura de abrigos em Teresina

Cerca de 25 famílias encontram-se abrigadas no antigo prédio do Hospital CEPAM desde o último dia 28.

31/05/2022 16:25h

Compartilhar no

Cerca de 25 famílias que ficaram desabrigadas após as chuvas intensas que ocorreram no início do ano em Teresina, agora se encontram em uma casa de acolhimento provisório da Prefeitura. O problema é que a falta de estrutura do local tem causado transtornos a estas pessoas que, por sua vez, vem enfrentando diversos dilemas desde que perderam suas casas. 


Leia também: Teresina tem 22 famílias desabrigadas pelas chuvas vivendo em escolas da Zona Norte 

(Foto: Assis Fernandes/ODIA)

As famílias reclamam que, no local existe um problema coma a energia elétrica, além da falta de estrutura do local. ”Aqui quando dá 18h, ficamos sem energia. As salas são quentes e precisamos usar os ventiladores o dia inteiro. Os banheiros estão todos sujos, mal estruturados. Nem cachorro merece usar esse banheiro. Estão horríveis. Até o quintal, onde poderíamos usar para nossas crianças brincarem, está cheio de buraco e é arriscado demais uma criança ficar ali”, destaca  Mônica Suelen, uma das pessoas desabrigadas que estão morando no local. 

As pessoas, que estavam abrigadas em escolas públicas, foram transferidas para o antigo prédio do Hospital CEPAM no último dia 28. Entretanto, o local ainda passa por reformas e adaptações, como pintura, instalação de portas e janelas, religamento de água e energia elétrica. 

Em nota, a Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) informa que ainda é necessário fazer alguns alinhamentos tanto com um novo regramento de convivência entre as famílias, quanto estrutural no prédio. Além disso, o órgão acrescenta ainda que já foi acionada uma vistoria para resolver o problema da energia elétrica. 


Confira a nota na íntegra 

A Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) esclarece que a transferência das 25 famílias retiradas de áreas de risco em Teresina para o novo abrigo “Casa de Acolhimento Tenente-Coronel Costa Neto” aconteceu, nesse final de semana, e que ainda é necessário fazer alguns alinhamentos tanto com um novo regramento de convivência entre as famílias, quanto estrutural no prédio 

Antes da entrada das famílias, o prédio passou por uma reforma, pintura, instalação de portas e janelas, religamento de água e energia elétrica. 

A Semcaspi garante que não há nenhum atraso na entrega de cestas básicas, que é mensal, tal como os kits de higiene e limpeza, tendo como data da última entrada 6 de maio deste ano. 

Quanto as oscilações de energia elétrica, a Semcaspi informa que já tomou conhecimento da situação e que não é um problema exclusivo do prédio e sim do bairro Aeroporto. Uma vistoria na situação já foi solicitada para a empresa responsável pelo fornecimento de Energia Elétrica, no caso a Equatorial Piauí. 

Já em relação a problemas de estrutura, como citado na matéria, o banheiro com problemas estruturais, a Semcaspi explica que a maioria dos banheiros encontram-se em seu funcionamento normal e problemas estruturais seguem em alinhamento e cada situação será sanada, dentro das limitações da equipe responsável destes reparos.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Edição: Adriana Magalhães

Deixe seu comentário