Sucatas são risco de proliferação do mosquito da dengue na zona Sul de Teresina

Ferro-velho exposto a céu aberto, durante o período chuvoso, representa grande perigo de proliferação do Aedes Egypti

12/05/2022 08:14h

Compartilhar no

Quem passa pela Avenida Getúlio Vargas, próximo ao cruzamento da Viaduto da Miguel rosa, na zona Sul de Teresina, já deve ter se incomodado com as sucatas abandonadas e as à venda, muito comuns na região. Só que no período chuvoso, o que é apenas feio visualmente se torna também um risco de criação e proliferação do Aedes Egypti, mosquito transmissor da Dengue e Chikungunya, doenças que tem registrado alta no número de casos em Teresina.


Leia também: Piauí tem 28 municípios em situação crítica para dengue 

A reportagem do Portal O Dia foi a esses locais e constatou que sucatas de ônibus, caminhões e tanques de armazenamento de combustível seguem sem nenhum tipo de cobertura, o que durante período chuvoso pode facilmente acumular água. Nos locais, também é possível ver pneus em pé, que servem para identificar as lojas de sucatas. Porém, esse tipo de identificação é altamente capaz de acumular e ser criadouro do mosquito.

(Foto: Assis Fernandes / O DIA)

O seu Francisco Alves, caminhoneiro e que sempre estaciona o caminhão em que trabalha naquela região, disse à reportagem, que nunca presenciou equipes para fiscalizar ou orientar os donos de sucata à acondicionarem os materiais da forma correta. “Há anos, eu passo e paro aqui. Sempre é essa situação, nunca vi Vigilância Sanitária ou outra equipe por aqui para evitar acúmulo de água”, afirmou.

Outro trabalhador da região, que preferiu não se identificar, também disse que não presenciou fiscalização na região para evitar o acúmulo de água nos ferros-velhos. “Ainda não vi fiscalização aqui. Embora, como essas sucatas estão ai à venda, muitas vezes, elas ficam pouco tempo aqui. Logo são vendidas. Mas água parada é perigo até por pouco tempo, né?!”.

(Foto: Assis Fernandes / O DIA)

A reportagem do Portal O Dia tentou entrar em contato com a Fundação Municipal de Saúde (FMS) para esclarecer sobre os trabalhos de fiscalização desses pontos. Embora não tenha se referido aos locais de ferro-velho na Avenida Getúlio Vargas, o comunicado diz que o órgão tem intensificado em toda a cidade o combate à dengue.

Confira a nota:

A FMS tem intensicado as ações de combate à dengue em todas as zonas da cidade inclusive com o uso do carro fumacê. A PMT desde o dia 18 de março está com força tarefa com o reforço do exército e com equipes de reeducandos da Secretaria de Justiça. O mutirão é organizado tendo com base as áreas que registram maior número de casos.

Casos de Dengue e Chikungunya cresceram exponencialmente

O Piauí vive um surto das duas doenças. O crescimento foi de 610% do número de casos de dengue e 4.179,3% do número de pessoas com Chikungunya no Piauí até o mês de abril deste ano. Isso também influenciou no aumento da utilização dos kits e testes, que estavam disponíveis no laboratório, onde estão sendo realizados, em média, 864 testes para diagnóstico das arboviroses.

(Foto: Assis Fernandes / O DIA)

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário