Teresina tem mais de 200 mil solicitações de atendimento pelo SUS

São cerca de 240 mil solicitações de consultas, exames e procedimentos cirúrgicos em fila de espera. Posição na fila varia de acordo com a urgência do procedimento.

07/08/2022 12:30h - Atualizado em 08/08/2022 10:41h

Compartilhar no

Teresina possui cerca de 240 mil solicitações de atendimento para a rede pública hospitalar gerida pelo SUS (Sistema Único de Saúde). A informação foi repassada ao Portalodia.com pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) cuja Diretoria de Regulação controla esse fluxo de pacientes na fila de espera por uma consulta. E não são apenas consultas: os procedimentos incluem também as solicitações de exames em caráter de urgência ou não.


Leia também: Teresina: paciente aguarda quase 3 anos para agendar consulta e retorno no SUS 


É importante ressaltar que essas 240 mil solicitações ao SUS não são o número de pacientes aguardando atendimento. Trata-se apenas de procedimentos que estão na fila de espera para marcação no sistema da FMS em Teresina. É que um paciente pode ter mais de uma solicitação ao mesmo tempo.


Foto: Assis Fernandes/O Dia

Muitas dessas solicitações são para procedimentos de urgência. Nesses casos, o sistema de regulação prioriza o atendimento de acordo com a classificação de risco do paciente. Pacientes em caráter de urgência são priorizados na fila. No entanto, mesmo com essa funcionalidade da regulação, a espera nem sempre diminui e o sofrimento, ele acaba se prolongando.

É o caso da dona de casa Cristiane Melo, 42 anos. Moradora da zona Norte de Teresina, ela foi diagnosticada com um mioma no útero, pólipo e com ovário policístico. Há pelo menos dois meses Cristiane vem sofrendo com um sangramento ininterrupto e buscou atendimento na rede pública hospitalar. Ela chegou a ser internada no Hospital do Buenos Aires e teve que tomar bolsa de sangue por conta de um quadro de anemia.


Fila de espera do SUS em Teresina tem mais de 200 mil solicitações de atendimento - Foto: Maria Clara Estrêla/O Dia

“Os médicos disseram que o caso é de cirurgia, que só se resolve se fizer a histerectomia – retirada do útero. A médica me disse que eu já ia sair do hospital direto para a cirurgia, que tinha colocado requisição como ordem de urgência. Mas depois de eu tomar a bolsa de sangue, me liberaram para casa e me entregaram o protocolo da regulação. Não foi feita cirurgia nenhuma”, relata Cristiane.

Ao chegar em casa e checar o número da regulação do procedimento, Cristiane constatou que a solicitação da cirurgia não apresentava caráter de urgência como havia lhe sido informado no hospital. “Estava como se fosse uma consulta normal, sem urgência. Uma consulta só. Ainda teve outro contratempo, porque quando eu liguei para o hospital, o nome que havia vinculado à minha regulação era o de outra pessoa”, comenta Cristiane.

Ela procurou novamente o hospital para que a solicitação de atendimento fosse retificada, mas dois meses depois, ainda aguarda a marcação da consulta para proceder com os exames e quem sabe conseguir fazer o procedimento de histerectomia para parar de sangrar.


Foto: Assis Fernandes/O Dia

A informação do caráter de urgência na solicitação de atendimento pelo SUS deve ser informada pelo próprio médico da atenção básica que atendeu ao paciente. A partir daí, esse paciente será inserido na fila de espera de acordo com a classificação de prioridade e os critérios clínicos identificados na consulta.

É importante ressaltar que o paciente deve sempre checar junto ao sistema de agendamento de procedimentos da FMS se sua solicitação foi atendida e sua consulta e/ou exame marcado. Por parâmetro, a Regulação de Teresina estabelece o prazo máximo de 60 dias para que a solicitação seja atendida. Caso esse tempo expire e o procedimento não seja marcado, o paciente vai para outra fila de revalidação. Em caso de saída da fila de revalidação, ele deve procurar o posto de saúde em busca de atendimento e retorna para a fila da regulação na mesma posição original.

No caso dos atendimentos de urgência, o tempo máximo de espera na fila depende do procedimento e da oferta de serviço disponível.


Foto: Assis Fernandes/O Dia

Aplicativo deve melhorar monitoramento de solicitações

Atualmente para que o paciente de Teresina verifique se sua solicitação de atendimento pelo SUS foi atendida, ele deve consultar periodicamente seu número de regulação no site de agendamentos da FMS. O número da regulação é fornecido pelo próprio posto de saúde no momento da marcação da consulta. 

Para melhorar esse sistema de verificação, a Diretoria de Regulação, Controle, Avaliação e Auditoria da FMS está desenvolvendo um aplicativo que permitirá ao paciente receber notificações sobre cada movimentação de sua solicitação. O sistema enviará mensagens instantâneas aos usuários e será avisado caso seu procedimento seja marcado. 

Mas vale ressaltar: só o recebimento da notificação não garante a realização do exame ou consulta. Uma vez notificado, o paciente deverá confirmar no posto de saúde se poderá ir ao procedimento para evitar que pessoas agendadas não compareçam às consultas e a fila de espera ande mais rápido.

Batizado de Teresina Saúde, o aplicativo já está finalizado e, segundo a FMS, deverá ser lançado ainda neste mês de agosto.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário